19 de dez de 2005

Viva à Boca do Lixo!



Pra quem não sabe, há uma nova grife na área. Ela se chama Daspu, ironizando a carérrima e famosérrima Daslu que, no momento, está sendo acusada por sonegação de impostos. A Daspu é uma criação das protitutas do Rio e estava sofrendo repressálias da Daslu pra que mudasse de nome. Não deu em nada.

Ambas grifes são ridículas. A Daslu por ter roupas com um preço abusivo diante de um país como o nosso, e por ainda passar pela vergonha da sonegação. Mas cada um sabe o dinheiro que tem no bolso e, portanto, compre o que quiser. Porém, roubar mais quando já se tem dinheiro pra dar e vender já é demais! Já a Daspu foi realmente uma saída criativa para elevar a auto estima das prostitutas como defendem elas mesmas. O que eu disse? Elevar a auto estima? Ora, por favor, vão a .....!!!

Que mania que prostituta tem de lutar por seus direitos e querer se integrar na sociedade por serem profissionais como quaisquer outros. Profissionais como quaisquer outros? Que vontade de encher de palavrões esse blog hoje. Desde quando elas são profissionais como quaisquer outros? Ainda por cima vem uma Bruna Surfistinha da vida, literalmente, dizer que se ofende quando a chamam de puta. Se ofende a palavra, por que é PUTA então?

E falando em Bruna, a própria fundadora da Rede Brasileira de Prostituição, Gabriela Silva Leite, diz que Bruna ainda derrapa num discurso ultrapassado da prostituta vítima da sociedade. E diz que acredita que a prostituição é uma escolha, independentemente de classe social. E nisso eu concordo com ela. Que mania que prostituta tem de dizer que é culpa da sociedade.

Outra coisa que acho ridícula nisso tudo, e que as prostitutas concordam entre elas, é dizer que as prostitutas são ótimas conselheiras. Dizem que os maridos não conseguem falar sobre suas fantasias com a mulher e a prostituta ajuda. Se o marido não é capaz de falar sobre sexo com a mulher, por que casa com ela então? O cara que é o culpado. Ele não se casa só pra ter uma mulher pra lavar suas cuecas sujas, cuidar dos filhos e fazer comida. Ele tem que casar com uma mulher pela qual ele tem atração, pra que assim não busque uma vida paralela nas ruas podendo trazer DSTs pra casa. No fundo as prostitutas se auto defendem e se auto elogiam tanto porque querem encontrar alguma importância na sua existência. Elas, no fundo, não querem ser apenas um objeto sexual. Acordem! Vocês são meros objetos sexuais!

E quanto ao tal Pedro (suposto ex-cliente e atual namorado da Bruna Surfistinha)? Será que ele realmente existe? Afinal de contas, o cara nunca apareceu e pode apenas ter sido uma invenção da própria Bruna pra mostrar que prostituta sabe amar e que putaria tem cura. Mas, se de fato ele existir, coitado. Deve ser uma barra andar na rua com uma prostituta, ainda mais famosa.

E que tal quando a Bruna disse que não sabia se contaria a um futuro filho sobre seu livro. Querida, você não precisa dizer, seu filho vai saber! Não esqueça que você conseguiu o que queria: ficar na história. E, portanto, basta seu filhote ou filhota ir até a biblioteca mais próxima e procurar o livro da mamãe, onde há um passado glorioso que talvez possa servir de exemplo pra a futura carreira da menina, se for.

Lógico que na cabeça delas a culpa por elas se prostituírem é do presidente, dos pais, da sociedade, do mundo. É que elas esquecem que as verdadeiras culpadas são elas mesmas. Como Gabriela disse, isso é uma escolha. Vira puta quem quer. E não adianta dizer que elas não têm oportunidades, emprego, estudo. Por que os pobres sabem batalhar e crescer dignamente na vida e vocês não?

Eu não vou elogiar a atitude da garota dizendo que ela teve coragem de dar às caras na TV. Ela não teve coragem, ela teve cara de pau. Ela quis é se mostrar, aparecer, se promover.

Me desculpa a agressividade, mas não consigo respeitar quem não se respeita.

E a TV? Que vergonha! A mídia faz tudo por audiência. Onde já se viu dar moral e promover a história de uma prostituta? O que a TV está querendo dizer aos telespectadores de todas as idades? "Se prostituam garotas jovens e ganhem muita grana; homens, traiam suas namoradas, noivas e esposas, levem doenças para casa; esqueçam o amor porque ele não importa mais, o que importa é só o sexo; procurem as prostitutas pra desabafarem (sinto muito psicólogas, vocês estão prestes a perderem seus empregos); vivamos nesse submundo podre e imundo. Viva ao lixo do mundo!"

Chega de hipocrisia! Puta é puta e ponto. E não tem direito de se ofender! Quem tem que se ofender somos nós que não podemos caminhar numa avenida pra que não vejamos essa boca do lixo com mulheres se oferecendo em plena calçada!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Apesar da língua da minha amiga estar felina hoje, concordo com o que ela diz sobre esta promoção da Bruna Surfistinha pela mídia. Imagina uma garota, num mundo onde o consumismo impera, querendo comprar suas roupas para andar na moda como suas amigas e não tendo dinheiro. Então, ela lê sobre a fama e dinheiro que uma tal Bruna ganhou se prostituindo. Não vamos ser hipocritas e ignorar que a mídia cria os ídolos dos jovens, então mais cuidado com o tipo de símbolo que irão promover. E também, não vamos esquecer que, embora tenham mulheres da classe baixa se prostituindo, tem muita filhinha de papai seguindo este caminho, afinal, elas precisariam batalhar muito em estudos para conseguir manter o padrão de vida que os pais ofereciam. Por isso, é mais fácil aproveitar o resultado do tempo que passam em academia e faturar a grana alta que os babacas pagam por uma noite de prazer.

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!