Pular para o conteúdo principal

Inicio ou fim de uma nova etapa?


Em março de 1980, o calouro da Universidade de Mogi das Cruzes Carlos Alberto de Souza morre devido a socos na cabeça em um trote. Ele reagiu quando os veteranos tentavam cortar seu cabelo à força. Em março de 1990, o estudante de direito George Araguaia Parreira Mattos, 23, tem uma parada cardíaca e morre quando tentava fugir de trote, em Rio Verde (Goiás); Em fevereiro de 1991, o aluno da 8ª série da Fundação Instituto Tecnológico de Osasco Júlio César de Oliveira, 16, morre depois de receber três golpes de tesoura ao reagir a um trote; Em abril de 1992, o estudante de economia Alexandre Spencer Vasconcelos, 20, é expulso da Puccamp por ter praticado trote violento contra José Ricardo Ribeiro Pinto, 23, que sofreu fratura na mandíbula, amnésia e teve de passar por cirurgia; Em março de 1993, o estudante Ugo Luís Boatttini Jr., 19, abandona a vaga no curso de engenharia que conquistou na Unesp de Guaratinguetá depois de passar por trote violento. Ele teve um peso de sete quilos preso aos seus órgãos genitais, entre outras agressões; Em março de 1998, o estudante Rodrigo Favoretto Cañas Peccini, 19, foi internado no Hospital Regional de Sorocaba (SP) depois de ter sido queimado por companheiros da Faculdade de Medicina da PUC-SP durante um trote-; Em fevereiro de 1999, o calouro Edison Hsueh foi encontrado morto dentro da piscina da Associação Atlética Oswaldo Cruz, no clube dos alunos da Faculdade de Medicina da USP, na manhã seguinte ao churrasco de recepção dos aprovados no vestibular.

Estes sãoalguns dos exemplos divulgados da brutalidade, da atrocidade, da irracionalidade cometida por veteranos sobre calouros. Esses veteranos não podem ser chamados de humanos, talvez nem de animais, pois é completamente inexplicável uma atitude tão grotesca como essa.

Se os veteranos querem recepcionar os novos estudantes de forma divertida que usem toda sua criatividade, mas não abusem dos limites. Até que ponto eles se julgam superiores para cometer tal tipo de humilhação sobre alunos que só queriam iniciar uma nova e tão esperada fase da vida.?

Se as pessoas não sabem seus limites o jeito é proibir o trote mesmo. É uma pena, mas não tem outra saída. Infelizmente ão estamos lidado com seres do boa coduta e caráter. É uma pea que uma comemoração teha que se transformar em velório muitas vezes!

Comentários

  1. que coisa né?! tem gente que acha legal humilhar os outros... eu realmente não entendo isso.
    o trote é uma das partes mais legais da faculdade - se bem dado, claro. objetivo do trote é integrar e não humilhar o calouro. pra que fazer isto? realmente tássia, isso é revoltante!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…