19 de mai de 2006

Inicio ou fim de uma nova etapa?


Em março de 1980, o calouro da Universidade de Mogi das Cruzes Carlos Alberto de Souza morre devido a socos na cabeça em um trote. Ele reagiu quando os veteranos tentavam cortar seu cabelo à força. Em março de 1990, o estudante de direito George Araguaia Parreira Mattos, 23, tem uma parada cardíaca e morre quando tentava fugir de trote, em Rio Verde (Goiás); Em fevereiro de 1991, o aluno da 8ª série da Fundação Instituto Tecnológico de Osasco Júlio César de Oliveira, 16, morre depois de receber três golpes de tesoura ao reagir a um trote; Em abril de 1992, o estudante de economia Alexandre Spencer Vasconcelos, 20, é expulso da Puccamp por ter praticado trote violento contra José Ricardo Ribeiro Pinto, 23, que sofreu fratura na mandíbula, amnésia e teve de passar por cirurgia; Em março de 1993, o estudante Ugo Luís Boatttini Jr., 19, abandona a vaga no curso de engenharia que conquistou na Unesp de Guaratinguetá depois de passar por trote violento. Ele teve um peso de sete quilos preso aos seus órgãos genitais, entre outras agressões; Em março de 1998, o estudante Rodrigo Favoretto Cañas Peccini, 19, foi internado no Hospital Regional de Sorocaba (SP) depois de ter sido queimado por companheiros da Faculdade de Medicina da PUC-SP durante um trote-; Em fevereiro de 1999, o calouro Edison Hsueh foi encontrado morto dentro da piscina da Associação Atlética Oswaldo Cruz, no clube dos alunos da Faculdade de Medicina da USP, na manhã seguinte ao churrasco de recepção dos aprovados no vestibular.

Estes sãoalguns dos exemplos divulgados da brutalidade, da atrocidade, da irracionalidade cometida por veteranos sobre calouros. Esses veteranos não podem ser chamados de humanos, talvez nem de animais, pois é completamente inexplicável uma atitude tão grotesca como essa.

Se os veteranos querem recepcionar os novos estudantes de forma divertida que usem toda sua criatividade, mas não abusem dos limites. Até que ponto eles se julgam superiores para cometer tal tipo de humilhação sobre alunos que só queriam iniciar uma nova e tão esperada fase da vida.?

Se as pessoas não sabem seus limites o jeito é proibir o trote mesmo. É uma pena, mas não tem outra saída. Infelizmente ão estamos lidado com seres do boa coduta e caráter. É uma pea que uma comemoração teha que se transformar em velório muitas vezes!

Um comentário:

  1. que coisa né?! tem gente que acha legal humilhar os outros... eu realmente não entendo isso.
    o trote é uma das partes mais legais da faculdade - se bem dado, claro. objetivo do trote é integrar e não humilhar o calouro. pra que fazer isto? realmente tássia, isso é revoltante!

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!