28 de ago de 2006

Uma pechada inesquecível

Luizinha tava na fossa. Ah, se tava! Ela já tava há um tempão sem dar um beijinho se quer. Imagina o resto então. Coitada! Depois de muita seca decidiu que precisava sair daquela. Não falou nada pra ninguém. Nem pra sua melhor amiga. Então adotou uma estratégia para "atrair machos", como ela mesma dizia. Se arrumava o máximo que podia todos os dias e saia à caça. Até no ônibus a menina caçava. Sua estratégia era simplesmente: esbarrar. Ela saia esbarrando em tudo que é guri que via. Minto. Ela selecionava o alvo. O guri a ser esbarrado deveria corresponder ao seu perfil. Bonito, aparentemente meigo e inteligente. Ela estava de saco cheio de caras idiotas sem nada no cérebro, exceto festa, mulher e futebol. Tava na hora de achar o homem da sua vida. Assim, se Deus quisesse, Luizinha teria muitos beijinhos e se o cara não fosse froxo ainda teria sexo a hora que bem entendesse.

Era faculdade, ônibus, trabalho, festa, restaurante, até oficina mecânica se duvidar. Ela pechava em quase todo mundo, exceto homem feio e mulher. Derrubava livros, mas ninguém ajudava ela a juntar. O máximo que faziam era dizer um "não foi nada" depois que a coitadinha pedia desculpas. É, a situação tava braba. Ela só não virava freira porque não tinha problemas nos joelhos que a impediam de ir à missa. Ah, e porque ela não tinha vocação enm pra católica né?

Luizinha já estava se achando a mulher mais feia do mundo por mais que achasse que estratégia fizesse o contrário. Depois de muitas esbarrões decidiu parar. Por que num desses esbarrões ela podia cabar caindo e a queda podia ser feia.

Até que em uma linda noite enluarada, Luizinha teve uma surpresa. Alguém esbarrou nela. Ah. Foi amor à primeira vista. O esbarrão perfeito.... Olhos nos olhos. Não passaram de segundos, mas pra ela pareciam horas. A mão dele tocou na dela. ela se arrepiou toda. Imaginem a situação da guria. Juntou os livros dela. ELE JUNTOU OS LIVROS DELA! Era tudo. Ele ainda por cima disse Desculpa LINDA! Se fosse só desculpa, mas não, foi DESCULPA LINDA. Deu pra entender ou querem que eu repita. Ela finalmente era LINDA!

No dia em que se casaram no cartão dizia:

Unidos por um acaso do destino. Que nossos destinos se pechem para o resto de nossas vidas!

2 comentários:

  1. óóóó que bonitinho!!!
    histórias de amor agora, Tássia?!
    essas coisas de destino são complexas né... rendem boas histórias

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!