Pular para o conteúdo principal
Quando Carlinha decidiu fazer judô

- Pô Carlinha, dá onde tu tirou essa idéia, heim?

- Que idéia?

- Essa, de fazer judô!

- Eu sempre tive essa idéia. Mas, agora tô a fim de pôr ela em prática. Quê que tem Beto? Eu até acho que tu deveria gostar dessa idéia, afinal, eu vou socar os outros caras e não tu. Pensa bem, tu me irrita e eu bato neles. Tu sai no lucro.

- Ah, pára, Carla, tu vai treinar com vários homens! Qualé que é! Mulher minha não vai ficar se mostrando pra outros caras!

- Me mostrando como? De Quimono?! Vou tá toda tapada Beto. Deixa de ser louco!

- Pra que judô? Vai fazer coisa de mulher.

- Mas eu não gosto. Desde pequena eu queria fazer judô e meu pai nunca deixou porque dizia que eu ia virar machorra. Mas, agora que sou maior de 18 anos, e está atestado que não sou machorra eu posso fazer judô.

- Ah, é. Então tá, Carlinha. Amanhã mesmo começo minha aula de ballet. Vou ficar no meio de um bando de mulher e quero só ver se tu vai gostar!

- Hahahahahahhahahahahahaha - Carlinha chora de tanto rir - Não dá nada. Todas vão achar que tu é o viadinho da turma. Mas, a vantagem é que tu vai ter várias melhores amigas e vai ouvir todos os desabafos sobre os namorados delas. Quem sabe assim tu passe a entender melhor o universo feminino.

- Cala a boca, guria. No fundo eu sei que essa idéia faz tu te remoer por dentro.

- Sim né. Me remoer de vergonha. O que minhas amigas vão pensar de mim se eu falar que meu namorado faz ballet?! - Carlinha continua rindo sem parar.

- Aham...tu é uma preconceituosa mesmo. Ballet é arte, não tem nada de boiolice nisso. (Claro que ele não iria fazer ballet, era só pra provocar ela mesmo. Mas a provocação não estava tendo êxito já que Carla não parava de gargalhar.)

Carlinha finalmente ficou em silêncio.

- No que tu tá pensando? - pergunta Betinho.

- Ai Betinho, por favor não faz ballet. Faz qualquer outra coisa menos ballet.

- Ué, por que essa mudança repentina? Tá com ciúmes né? Confessa!!!

- Não, Betinho, é que se tu fizer ballet, meu pai vai achar que tu é uma mulherzinha, e consequentemente vai achar que eu sou machorra, e portanto, eu não vou poder fazer judô!

E assim Carlinha deita no chão de tanto rir...

Comentários

  1. hahaha
    boa, boa
    mas, seria mesmo 'betinho' o nome desse cara? me soa familiar, ele!

    bjus

    ResponderExcluir
  2. muito engraçado
    quase fiz xixi de tanto rir
    esse betinho, hein!!!!

    ResponderExcluir
  3. finalmente algo engraçado!!
    muito boa!!!

    homens sempre saem por baixo

    bem feminista eu né?!!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…