Pular para o conteúdo principal
Com o tempo...

No início era tudo lindo. Parecia até novela das oito. Eram beijos pra lá, beijos pra cá. Abraços, carinhos, flores, palavras doces, choro na hora da despedida, horas a fio no telefone, cartinhas de amor, declarações via torpedo, msn, orkut, e-mail. Os amigos diziam que era o casal perfeito de tanto que combinavam.

Ela, às vezes, fica lembrando, pensando em como era bom. Sentada ao lado dele, observa-o e lembra de como era diferente. E nem fazia tanto tempo assim, parecia que tinha sido ontem. Parecia até um conto de fadas que ela não queria que acabasse nunca. Ela lembra de cada cena que para ela foi especial. De cada reconciliação, de cada surpresa e de cada declaração. Ele, nem se lembra mais dos momentos que para ela foram marcantes.

Ah, como eram românticos. Típicos adolescentes apaixonados. Mas, com o tempo, a paixão foi sumindo e foi dando lugar a desentendimentos. Brigas que surgiram devido à descoberta de diferenças que antes passavam despercebidas. Antes, era aquela paixão que dava até dor de barriga só de estar pertinho, que dava arrepios e calafrios e que fazia a gente rir só de lembrar da pessoa amada. Mas, com o tempo, a paixão foi dando lugar ao amor.

Ela, não desistia de tentar recuperar a paixão que se desfazia. Tentava ao máximo lutar pelos carinhos e pelas palavras doces que foram esquecidas em algum canto escuro. Ele, nem se dava ao trabalho de fazer alguma surpresa que tanto a agradava. Ela, se esforçava ao máximo para recuperar a paixão que havia antes, mas não era retribuída. Mandava mensagens românticas, ele não respondia. Escrevia cartas, mal ele lia. Ligava para ouvir a voz dele, ele nem sempre entendia. Dizia que estava com saudades, ele dormia. Em certas noites frias, nem dormir na mesma cama ele dormia. E assim, aquele romance sumia.

Como tempo, até o amor foi sumindo, e foi dando lugar a uma amizade que, às vezes, pedia um pouco mais. Nem amizade era mais, pois já não trocavam mais confidências. Era mais como uma relação de irmãos, que uma hora dão risada um do outro e na hora seguinte já estão brigando.

Ela, ainda tenta recuperar o que se perdeu. Ele, não se esforça, já não faz tanta questão. O que restou ele nem se quer sabe, mas a acomodação deixou estar, e as lembranças boas já não são tão boas assim. O amor já não aquece feito o sol, ele está mais perto do frio do mar e das ondas que podem o levar.

Mas ela não desiste. E ele, nem sabe o que se passa na cabeça dela nesse instante.

Ps: Essa imagem fala mais que mil palavras...

Comentários

  1. Desculpa a falta de tempo pra ler. Só vim aqui pra te dar os parabéns. Te vi na ZH, repórter do Kzuka. Show de bola! Beijos

    ResponderExcluir
  2. A Tássia, ops, quer dizer, 'ela', provando que é mais brasileira do que nunca, hein. E aposto que ele nem leu isso aqui. Se é que sabe que ela tem blog...

    beijos, tô de blog novo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…