Pular para o conteúdo principal

A coisa ficou Preta!

"Não sou gorda. Me acho bonita, estou feliz com meu corpo."Apesar da convicção com que Preta Gil afirma seu amor próprio, parece que sua fase "tô nem aí" passou. Após ser alvo principal da imprensa depois de levar um caldo na praia de Ipanema, enquanto curtia o mar na companhia de Sabrina Sato, Preta resolveu dar um basta nas piadinhas que lhe dizem respeito.

A filha do ministro da cultura sempre demonstrou ser uma muralha. Uma mulher segura de sí, com uma auto-estima inabalável e imune a piadas de mau gosto. Mas pelo visto, a máscara caiu. Ela não era tão "falem mal, mas falem de mim" como parecia ser. Talvez Preta estivesse evitando confusão para não ser taxada de metida pela mídia, afinal, já basta ser taxada de gorda. Mas eu acho que brincadeira tem limite e, ultimamente, nossos humoristas têm extrapolado essa barreira. Só que Preta demorou pra dar limites e a mídia não tinha uma balança para saber qual era a fronteira do proibido. Ser famoso não é tão fácil. Ossos do ofício!

Se os motivos pelos quais ela decidiu processar os engraçadinhos de plantão foi o de criticar o falso padrão de beleza imposto a mulher brasileira, acho muito justo. Ninguém é igual a ninguém. Nem todos nascem iguais a Sabrina Sato, e talvez haja um lado bom, afinal, eu não gostaria de ter uma pinta na testa. O que não há de beleza em um corpo pode haver em um rosto ou em um coração. E não esqueçam que lá por volta de 1500, sexy era ser gordinha, vai que a moda volta.

Comentários

  1. Oi! Vc comentou no meu blog e eu, xereta como só eu, vim futricar aqui! Hehehe...
    Seus textos são muito bons!!! Concordo 100% com vc nesse da Preta...Assim como ela, nos temos q ser do jeito q nos sentimos melhor, e não como a moda nos manda ser!
    E qnto ao template... Eu não sei mudar no blogspot... xP
    Desculpa... ^^"
    Beijos e continua escrevendo assim, viu?!
    =***

    ResponderExcluir
  2. Oi! Poxa, não posso te ajudar porque só entendo de UOL BLOG. Não sei como as coisas funcionam no blogspot!

    (www.pollyok2.zip.net)

    ResponderExcluir
  3. Ahhh concordo quando vc disse q o povo comediante tá extrapolando e estão mesmo! Aquele programa Pânico já foi engraçado, hj em dia tá mais p/ totalmente maldoso, feito p/ adolescente sem cabeça mesmo.
    Tb acho q os limites da beleza quem impõe é a mídia mesmo e Preta devia nessas horas sair cantando quantos já pegou. Pq naum é todo mundo q perde a virgindade com Marcos Palmeira neah? ;)

    Obrigada pela visita ao meu blog boneca e boa sorte p/ gente!

    ResponderExcluir
  4. oi
    olhaa
    vc procurou a pessoa errada pra tirar suas dúvidas
    eu tbm já lutei pra mudar meu blog e não consigo
    a foto eu coloquei com a ajuda do meu namorado
    :P
    triste eu não poder tirar suas dúvidas, mas faz parte
    simm
    sempre q quiser passa lah
    xD
    bjus

    ResponderExcluir
  5. Hauhaua, gremista também?! Eba õ/
    É, mas deve ter alguma gaúcha sim (tomara que seja gremista também), mas se não tiver eu tenho sangue de gaúchos (Pai e vô!) HOIHAOIA ^^

    Beijos! ;*

    ResponderExcluir
  6. É,vejo que este assunto realmente tem dado o que falar,mais fazer o quê?!O povo gosta de falar da vida alheia e eu acho que toda mulher tem sua beleza,os padrões são diferentes,cada caso é um caso e ninguém precisa ou tem quer como as divas da tv.
    Mais é isso ai,gostei do texto e da forma como vc abordou o assunto.
    Desculpe-me pela invasão e um ótimo domingo!

    ResponderExcluir
  7. Poxa,obrigado moça.Fico muito feliz com o seu ponto de vista de que os blogs existem para serem invadidos e julgados.Esse prisma é simplesmente fascinante.
    Sucesso!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

A chata existência dos chatos

Faz tempo que quero escrever sobre pessoas chatas, mas é meio difícil falar sobre elas. É que eu me irrito demais com pessoas chatas. Me irrito justamente porque elas são como são, chatas! Pior que isso, têm chatos que, muitas vezes, são legais e, portanto, você não pode ser estúpido com eles, pois se não, até nos momentos que eles deveriam ser legais, eles vão ser chatos. Complicado não?
Eu, que também devo ser chata pra algumas pessoas, não tolero determinadas chatices. Eu as engulo no osso. Muitas vezes, sou grossa, respondo, dou indiretas, ignoro. Mas o chato pós-graduado não percebe e continua me chateando. Vou dar um exemplo. Sou umas pessoa que detesta ser interrompida em qualquer circunstância (absolutamente qualquer circunstância). Não gosto de ser interrompida no banho, no telefone, quando escrevo, quando leio, quando trabalho e até quando não faço nada. Não gosto que me tirem o foco. Devo admitir que nesse sentido sou egoísta. Sempre acho que o que estou fazendo é mais inter…

Gente que sabe escutar o outro

Sempre acreditei no poder da fala. No quanto é importante falarmos sobre aquilo que nos incomoda. Falarmos pros outros - amigos, terapeuta - ou pra quem está nos afetando. Talvez ainda acredite, mas apenas com as pessoas certas.
Gosto de falar naturalmente. Faz parte de mim. Assim como gosto de escrever. Além de escrever crônicas, contos e matérias, escrevo muitos emails. Os emails são as cartas que mando quando preciso conversar com quem não gosta de sentar frente a frente e olhar olho no olho. Não culpo, pois cada um tem suas fraquezas. O problema é que essas pessoas que leem minhas 'cartas' nem sempre respondem e, muito menos, as absorvem - o que é pior que não respondê-las. As que o fazem, respondem tão lindamente (mesmo quando a resposta não é o que eu esperava), que posso dizer que são pessoas raras e especiais, pois me deram 'ouvidos' (olhos) e pediram os meus. Sou grata a elas e guardo esses emails especiais com carinho, pois foram aprendizados pra mim.

Mas não e…