11 de abr de 2008

Já virou rotina...

O mistério que envolve a morte de Isabella Oliveira Nardoni, de 5 anos, tem abastecido a mídia desde o dia em que aconteceu a tragédia. Por enquanto, o principal suspeito do homicídio é seu próprio pai. Acredito que, antigamente, os pais eram os últimos suspeitos num caso como esse. Mas, diante da brutalidade que tem permeado a sociedade atual, eles passaram a ser os primeiros.

Os casos de crueldade contra crianças tem ganhado grande visibilidade na mídia justamente por terem sido tão freqüentes. Não acho que essas bárbaries sejam características de um país pobre como o Brasil, afinal, por aqui ainda não há atiradores dentro de escolas e universidades prontos a aniquilar a turma toda. AINDA! Eu acho que isso tem a ver com a sociedade como um todo. Com a aceitação dos fatos sociais como naturais, comus e corriqueiros.

Infelizmente, estamos acostumados com notícias desse tipo e, talvez, não consigamos mais ficar tão chocados. Afinal, todos os dias de manhã eu já abro o jornal esperando pela mais nova tragédia do dia. Só nessas duas últimas semanas abri a Zero Hora (aqui de Porto Alegre) e li sobre o adolescente de 16 anos que matou 12 pessoas em Novo Hamburgo, sobre um aluno de 18 anos que matou um professor à facadas em Vacaria, sobre a dengue que está matando uma pessoa a cada dois minutos no RJ, sobre o número de mortos pela bactéria hospitalar nos hospitais de Porto Alegre nos últimos dias e por aí vai. Há muito tempo, eu fiquei chocada com a morte do Senna e dos Mamonas Assassinas. Há pouco tempo fiquei chocada quando soube que universitários arrastaram a cadela preta em Pelotas até a morte. Eu pensava: Como um ser humano é capaz de fazer isso com uma cadelinha inocente e prenha? Mas depois que vi que os homens são capazes de arrastar crianças, como o João Hélio, concordo com a afirmação de que o coração (e a mente) dos homens tem razões que a própria razão desconhece.

É duro admitir, mas tanto eu como você que está lendo meu blog, já estamos habituados às bárbaries.

5 comentários:

  1. Tássia.
    Muito boa sua crônica.Também escrevo algumas crônicas e queria saber sua opinião.
    Gostaria de convidá-la a visitar meu blog e, se gostar, vote no blogstar.
    http://blogdocatarino.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Otimo seu texto garota, bem realista mesmo, estamos todos anestesiados agora, é uma pena q naum sejamos mais atingidos com barbaridades dessas.

    ResponderExcluir
  3. Mauro Castro13/04/2008 18:28

    Custa-me crer que o pai está envolvido neste crime. Cara, eu custo a acreditar...
    Quanto ao plágio da Globo, acho que não há muito a fazer.
    Há braços!!

    ResponderExcluir
  4. eu acho que foi o porteiro ú_ú

    sei lá, todos são suspeitos, não gosto de tirar conclusoes precipitadas

    ResponderExcluir
  5. O que me deixa chateda é porque como vc mesmo disse ja esta na rotina,e as pessoas ficaram tao impressionada com um so caso,tendo varios e piores que esses!!
    Tudo bem,tem que fazer justiça mais vamos tambem resolver os outros casos!
    Um dia eu vi na televisao depois dessa tragedia uma mae chorando pq nao sabia como foi a morte do seu filho e ninguem faz nada!
    bjim

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!