3 de jul de 2008

Crítica Sexy In The City

Modernidade às avessas - Filme Feijão com Arroz!


Ontem fui ao cinema com uma amiga assistir Sexy In The City. No geral, o filme é muito bem elaborado. O roteiro retrata muito bem os conflitos cotidianos de mulheres na faixa dos 40 anos. Problemas conjugais e de relacionamentos são o ponto forte do longa. Mas eu, como sou do contra, não gostei do filme, enquanto minha amiga amou. Vou me explicar melhor. Gostei do filme nos quesitos direção, roteiro, história, enfim, de todos detalhes técnicos possíveis. Mas detestei o desfecho. Afinal, o filme não era sobre mulheres modernas, auto-suficientes e independentes? Era para ser uma lição para nós mulheres, mas, para mim, foi um balde de água fria. Algo do tipo "É garotas, vocês serão eternamente condenadas à sucumbirem ao poderio masculino! Eles sempre vencem no final!". Que eu saiba era para ser uma história de mulheres independentes que sabem viver muito bem sozinhas e que não precisam perdoar as bobagens dos homens porque se preenchem por completo. Como disse Miranda no filme, os homens preferem pedir desculpas por tudo que fizeram ao invés de simplesmente não fazerem nada pelo qual precisem se desculpar depois. Concordo plenamente com a teoria dela e, por isso, desaprovo sua decisão no desfecho do filme. Mas chegaremos lá...

Então vejamos. A única personagem que deu um ótimo exemplo para as mulhere foi Samantha, pois ao ficar insatisfeita com o relacionamento de anos jogou tudo pro alto sem medo de ficar para titia mesmo com seus 50 anos. Ela não teve medo de ser feliz de novo buscando alguém que a completasse. Já Carrie perdoou o Mr. Big que a deixou plantada o esperando em pleno dia de seu casamento. Humilhação imperdoável não? O amor foi posto em dúvida para mais de 200 pessoas! E a anta da Miranda que perdoou o maridão nanico que transou com outra. Fala sério! E nem quis saber quem era a outra?! Estranho não?! Até tem uma hora que o Steve (marido da Miranda) pergunta para a Psicóloga algo do tipo: "Como vou saber se não vou ser eternamente punido pelo que fiz?". A psicóloga responde: "Você nunca vai saber". E Miranda pergunta "Como vou saber se ele nunca vai trair de novo?". A psicóloga responde: "Você nunca vai saber". Na minha opinião, os laços de amor não podem ser refeitos nesse caso, pois a confiança que se tinha desapareceu para sempre. Eu admito que eu ia punir meu marido eternamente e nunca mais nosso amor e muito menos nosso sexo seria verdadeiro. Desculpem o radicalismo. Mas sou contra esses sentimentalismos de perdão. Perdão e Tássia são duas palavras que não combinam. Desculpar eu até desculpo, mas perdoar é demais. Não me importaria de terminar um relacionamento após 25 anos, por exemplo, se soubesse que além de ter sido infiel comigo meu marido foi desleal com seus filhos e comigo óbvio. Acho que filho não segura casamento nem antes, nem depois e nem durante. Abaixo a submissão feminina. Zero para Miranda! Zero para Carrie! Dez para Samantha! E Dez para Charlotte, se é que a felicidade plena dela realmente existe. Mas esse assunto já é pra outro post.

14 comentários:

  1. Eu não assisti o filme ainda, e acho que nem vou, na verdade não gosto muito de Sex in The city, mas já vi vários comentários sobre este filme, você foi a segunda que não gostou do final também, minha amiga falou um monte ahahahaha.

    Beeeeeeijos

    ResponderExcluir
  2. O primeiro não achei nada demais. Esse segundo, pelo que você diz, deve seguir o rumo. Bjus e bom final de semana.

    http://so-pensando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Bom..tô indo pro cinema daquia pouco..então obrigada..vou passar longe desse filme!

    entra no meu blog!
    www.caixinhacensurada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. adoro sex and the city *----*'
    ainda não vi o filme, to louca pra ver ;p
    beeijo *:

    ResponderExcluir
  5. Oii
    ainda não assisti o filme, mais acho que todos podem ser dependentes, etc.
    Mais ficou interessante sua critica, viu?
    vou querer sáber mais sobre o filme, etc.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Tássiaa. Este e-mail foi depois do "Duas coisas!"

    terça-feira, 24 de junho de 2008 13:53:51

    Fofonildos,

    É sempre assim: mal eu mando a pauta do site (é, eu tinha esquecido de dizer que era para o site!), e a Lu me manda a pauta da revista.
    Então lá vai:

    "Que invenção tecnológica ainda faz falta à sua vida?"

    Não me invejem, maaaaaaaaaas, há anos que eu sonho com uma máquina que vi num desenho dos Jetsons: era só programar o aparelhinho, colocar as mãos dentro e, tcharaaam!, unhas feitas e lindas em poucos minutos! heeheheh! :)

    Se bem que há tantas outras que eu vivo sonhando...

    Enfim, vamos combinar para domingo, 29?
    Ficamos com a pauta para o site (homens cafa) para o sábado, e revista (máquinas perfeitas) para o domingão.

    Avisem se postarem separadas ou juntas, ok?


    Beijoscomammuitomilhoedançemmuitoforró!

    Naty

    ResponderExcluir
  7. Então, eu não vi o filme ainda, não sei me posicionara a respeito! Mas eu gosto muito dos seus textos! Quando a não ir na aula, vamos abafar o caso, até porque matei aula para ir numa festinha! Haha!

    ResponderExcluir
  8. Bela crítica, tudo superjustificado
    Mas eu ñ posso dizer nada, porque ñ assisti o filme ainda ^-^

    Beijos, amo aqui *-*

    ResponderExcluir
  9. Adorei o filme
    adorei a critica.
    Ótimo blog
    Olá ,
    Aguardo uam visita sua no meu blog.
    Abraço!!!

    ResponderExcluir
  10. Menina comecei a ler e parei, já que tem varios spoilers pelo texto e eu ainda naum vi esse filme maravilhoso. ;)

    ResponderExcluir
  11. eu não vi esse filme, e acho que submissão feminina tem limites.
    Acho que uma vez ou outra dizer "você decide", ou "o que vc acha melhor?" é importante pra conhecer a opinião do outro e pra manter um diálogo e poder trocar opiniões, mas daí a ser "o que vc quiser amor", "tudo por vc, meu benzinho" e "te perdoo por ter se esquecido do nosso casamento e ter ido pro bordel" dem condições né?

    Se bem que há vários ângulos de como tratar disso, já que quando somos jovens, apaixonadas e inocentes a gente comete de tudo :x

    Bom, falei demais, mas eu adorei a sua crítica, ótimo ponto de vista, meniina :D
    beijão

    ResponderExcluir
  12. Excelente blog. Curti mesmo. Acho que teu estilo tem tudo a ver com o nosso. É raro encontrar alguém que consiga transmitir tão bem o que pensa. Parabéns mesmo. Ahh, e virarei assíduo aqui, posso? hehehe. (Procura por "Jurandir" lá no nosso blog, ok? Sou eu. hehehe)

    - O Equilibrador de Pratos -

    O que os homens pensam?
    Relacionamentos. Teorias. Discussões. Comentários. Mulheres. Sexo. E pratos equilibrados em varinhas. Bem-vindo à vida real.

    3 amigos (B. Sacamano, Hannibal e Jurandir, pseudônimos, claro) que resolveram fazer um blog tratando de assuntos que abordam o "Universo Homem + Mulher = Relacionamentos". Retrata todos assuntos citados acima, com textos bem escritos, humorados, ácidos, sarcásticos, irônicos e, sinceros ao extremo. Vale dar uma conferida. E que atire a primeira pedra quem não se identificar com algo.

    PS: por que o nome "O Equilibrador de Pratos"? Entre no blog e descubra. Será um "soco no rim". No bom sentido, é claro.

    ResponderExcluir
  13. mas tooodo mundo fala desse filme
    e eu nunca tive vontade de assistir!
    ACHO QUE SOU UM ET
    hahahahahaha

    estou melhor!
    E juro que não tinha nem lembrado dessa musica quando escrevi meu post!
    =/

    BEIJO

    ResponderExcluir
  14. Eu também sou um "ET" nunca parei para pensar em assisti :S

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!