Pular para o conteúdo principal

Aqui se faz, mas nem sempre se paga...

Sabe aquela música que você ouviu na rádio e curtiu? Que tal baixar ela pro seu computador em minutos, ao invés de gastar tempo e dinheiro indo até uma loja comprar o CD? E aquele filme que tá no cinema (ou nem chegou nos cinemas ainda)? Também tem na Internet.

Infelizmente, para músicos, produtores, diretores e demais envolvidos nessas produções artísticas, baixar gratuitamente músicas, filmes e derivados da Internet lhes tira muito dinheiro. E, felizmente, para nós consumidores, evita os gastos além do orçamento. Quem se dispõe a pagar R$ 15 por uma sessão de cinema quando consegue ter acesso a um filme por R$ 2,00 ou por nada? Quem se dispõe a pagar R$ 30 por um cd, quando pode ter no seu ipod várias músicas que não lhe custaram nada? Quem se dispõe a pagar R$ 50 por um livro quando pode baixá-lo?

Absolutamente, nada se compara a ter o produto de forma pálpavel, sem um teclado e um mouse para evitar a aproximação. Mas então, como fazer para agradar os dois lados, ou melhor, os dois bolsos? Se o acesso à cultura não fosse tão caro para os padrões financeiros da maioria brasileira, certamente não haveria tanta pirataria e tanto download free na rede. Eu mesmo adoraria ter todos os livros de que gosto na minha biblioteca particular, mas, muitas vezes, acabo os pegando emprestado na biblioteca da faculdade ou alugando numa locadora de livros aqui perto que custa R$ 0,40 a diária. Até aí tudo bem, mas quando a grana tá escassa, baixo da net e, se cansar meus olhos ao ler no monitor, imprimo as folhas e encaderno por um preço bem mais baixo. CDs? Ixi, não os compro há anos. DVDs ainda alugo, mas o pirata tá bem mais barato.

A pirataria é ruim, tanto para nós apreciadores desses produtos culturais e de entretenimento como para quem os faz. Se fazer downloads é pirataria eu já não sei, mas se fosse, quase 100% da população estaria presa. Proibir não é o caminho. Acredito que grande maioria prefere comprar do que baixar, mas não tem grana. Governantes, sobrou pra vocês de novo. Por onde andam as leis de incentivo à cultura heim?!?!

Comentários

  1. A Lei Rounet é uma farça! Como todas as Leis nesse país! Esses tipos de incetivos só previlegiam uma parcela ínfima de artistas que são top de linha. O custo de produção cultural no Brasil são muito altos e a fatura sobre pra nós consumidores. Bjus.

    http://so-pensando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oii
    Sim, os empresarios, produtores, criadores recebem bem menos dinheiro... Eu não baixo muito na net. Quase nada. Não tenho paciência, sausahusah. Claro que facilita para nós baixar na net. Acho que eles deveriam abaixar um pouco os preços dos cds e dvds.
    Tem DVD que é R$60,00. O pessoal vai baixar na net um DVD por R$00,00 e na loja pagaria R$60,00. É uma grande diferença!
    bjO

    fique com Deus
    Até mais se Deus quiser

    ResponderExcluir
  3. Obriigadoo Táh...

    Muiitas vezes gastamoos dinheiiros em coiisas q tem de apena R$00,00...

    Bjsss

    Vlw pelo Mikiinha
    Boa Noite

    Mika

    ResponderExcluir
  4. Dependendo do filme, vale mais a pena tu ver no cinema, com aquele puta som nos teus ouvidos, com aquela tela desgraçada na tua frente, do que ver em casa... fica muito sem graça.

    Beijo

    P.s.: Sim, eu sou de Porto Alegre. Eu quase fui pro IPA, mas se eu fosse, perderia todo o investimento que fiz na Unisinos, porque quando o curso de jornalismo foi implantado no IPA eu já tava na metade.

    ResponderExcluir
  5. oi :]
    vocâ falou sobre uma coisa que eu penso sempre e só faz eu ter mais certeza que estou certa: a cultura no nosso pais é para poucos.
    muitos gostariam de ver filmes no cinema, oras, é muito mais emocionante, muito mais gostoso. muito mais gostoso é você poder comprar o livro e te-lo para sempre em suas mãos... comprar um dvd original... mas infelizmente nosso pais é de poucos, não estão se importando muito :/
    parabens pelo texto :)

    beijinhos ;*

    ResponderExcluir
  6. Passando aqui para convidar você a ler e freguentar meu mais novo blog, e é de sátira política:

    www.meiaspalavras.myblog.com.br

    Jogue suas meias sujas no cesto de lixo também. Bjus.

    http://so-pensando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. eeu sou contraa a piratariaa caraa =/

    ResponderExcluir
  8. só não vejo muita graça em livros baixados. Ler no computador cansa demaaiiiis.

    beiijos :D

    ResponderExcluir
  9. Assunto deveras delicado, mas oi? Nunca vi nenhum artista andando de buzão tb e portanto, cada um sabe onde seu sapato aperta mais.

    ResponderExcluir
  10. Tiago Medina10/09/2008 17:27

    Essa é uma questão apenas de adaptação. Cds, Dvds são mídias ultrapassadas, tanto que estão em extinção - principalmente o primeiro. Daqui a pouco tempo, compraremos apenas o que tivermos interesse via internet.
    Gostaria só de fazer uma ressalva. Quem perde dinheiro com isso são as gravadoras. Os músicos mal recebem e, me fala de algum que não quer ter seu trabalho difundido, mesmo que de forma ilegal. Fico com a frase do vocalista do Teatro Mágico no show de Porto Alegre: "Podem nos piratear à vontade. O importante é que a música seja difundida."

    beijão

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…