Pular para o conteúdo principal

Pautas da Capricho (2 em 1)

DE OUTROS CARNAVAIS...


Quais são as suas melhores lembranças de Carnaval? As de infância, as da pré-adolescência, da adolescência ou da fase quase adulta? No meu caso, quando criança, nenhuma música era mais divertida do que “olha a cabeleira do Zezé”; nenhum funk ou pagode fazia com que eu mexesse mais meu esqueleto (literalmente) do que “mamãe eu quero”; serpentinas, confetes e sprays de espuma pra jogar nos outros faziam a minha alegria; e as fantasias faziam eu me sentir mais linda (já me vesti de Havaiana, Jogadora do Grêmio, Colombina e não me lembro mais o quê). Na pré – adolescência, o legal era me vestir igual às minhas amigas e dançar ao som de Banda Eva. Na adolescência, a única marchinha de Carnaval que eu ouvia era “se você pensa que cachaça é água, cachaça não é água não.” Mas os ritmos que contagiavam mesmo eram funk, pagode e axé. Nada mais cafona do que dançar aquelas marchinhas que dizíamos ser da geração dos nossos pais, mas que dançávamos quando criança. E na minha fase quase adulta nada substitui um descanso no feriado com o velho do meu namorado.


Mas... se é pra lembrar da melhor lembrança foi a do Carnaval adolescente de 2005 no auge dos meus 17 anos quando, após o festa frustada, em outra praia, terminei a noite-manhã com minha amiga tomando batida congelada com porção de peixe assistindo a droga do desfile de Carnaval da Globo.


SE EU FOSSE VOCÊ...





Quem nunca quis ser uma mosquinha pra ouvir o que certas pessoas falam quando você não está por perto? Quem nunca quis morrer por um dia e ressuscitar no outro só pra ver quem sentiu sua falta de verdade? E qual mulher nunca quis ser homem por um dia pra conhecer melhor a sua rotina e a sua cabeça? Se eu fosse homem por um dia eu faria xixi de pé, mesmo preferindo sentar devido à minha preguiça; coçaria o saco toda hora, mesmo achando esse "tique" meio patológico; cuspiria no chão; arrotaria na frente dos amigos; e daria risada ao soltar um pum na frente dos amigos; pois acharia que homem que é homem tem que fazer isso mesmo, já que frescura é coisa de mulher; Além dessas manias um tanto "porcas", eu diria à minha namorada que eu ia pra pelada com os amigos quando na verdade eu ia ver uma mulher pelada em algum lugar, ou ainda diria que ia trabalhar até tarde só pra não furar com os amigos naquela festa. Resumindo: se eu fosse homem por um dia eu mentiria o máximo que eu conseguisse, pois saberia que em questão de pouco tempo a minha mulher ia descobrir a verdade, mas iria me perdoar, com elas sempre fazem. Porque, fora raras exceções, a essência da felicidade de um homem é a mentira. E seria até interessante saber como eles desenvolvem esse dom, ainda que não melhor que as mulheres.


P.S.: Não resisti à brincadeirinha meio preconceituosa com a Tammy Gretchen. = )

Comentários

  1. Eu não tenho nenhuma lembrança significativa de carnaval ;/

    E se eu pudesse morrer pra ressuscitar no dia seguinte, com certeza eu faria! ^^
    E sobre as mentiras masculinas.. você disse TUDO: "e seria até interessante saber como eles desenvolvem esse dom, ainda que não melhor que as mulheres."

    Ahh.. esse ano eu tbm vou participar do TDB da Capricho! \o/
    Fiqueei tão feliz!

    Beeijos
    ;*

    ResponderExcluir
  2. Ah eu ainda não tenho lembranças de carnaval , afinal minha mãe agora que me deixou sair mais !
    Beijoos


    obs":mudei de blogg esse eh meu novo
    o meu antigo era jehrocha.zip.net

    ResponderExcluir
  3. A natureza humana tende a ser um tanto curiosa que tenta sempre desvendar o que é dificil explicar.
    Mas sem esse ar essencial será que ela seria saborosa igualmente?
    Não sei, deixo que os caminhos me mostrem.
    Mas por um pouquinho de humor nesses misterios trazem para essa duvida um pouquinho de graça e exitação o qual sempre ansiamos.
    Parabéns pelo blog, um beijo, sucesso sempre.

    ResponderExcluir
  4. Oi Tássia!
    Apareci finalmente!
    Menina, vim morar em Uberlândia/MG!
    E estou toda envolvida com a mudança e com a adaptação aqui...

    Ah, se eu soubesse como colocar fotos ou imagens no plano de fundo do blog já teria feito isso há muito tempo! rs! Já pesquisei e bisbilhotei tanto e nunca consegui. Se um dia vc descobrir, jura que me conta???

    Sobre carnaval tenho a dizer que eu AMO!!! Nem tanto por causa do axé ou de samba enredo, mas pq eu tenho lembranças de viagens com amigos, de reencontro com pessoas que não vejo faz tempo, etc.
    Pra mim carnaval é o melhor feriado do ano!
    Tô meio velha pra carnaval de rua, e esse ano pulei no meio das caixas e malas (rs), mas tiramos uma noite pra ir no carnaval histórico daqui de Minas (com marchinhas e bonecos gigantes), amei!

    Bjos!
    PS: Cadê aquele layout com aquelas linhas de caderno??? Ai Tássia, eu amava aquilo!!!!

    ResponderExcluir
  5. Já não gostava de carnaval... depois desse ultimo em que meu casamento acabou tomei PAVOR! seria engraçado se não fosse triste...
    bjs!

    ResponderExcluir
  6. Eu super gosto de dCarnaval, mas nesse nem me diverti. :(

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

A chata existência dos chatos

Faz tempo que quero escrever sobre pessoas chatas, mas é meio difícil falar sobre elas. É que eu me irrito demais com pessoas chatas. Me irrito justamente porque elas são como são, chatas! Pior que isso, têm chatos que, muitas vezes, são legais e, portanto, você não pode ser estúpido com eles, pois se não, até nos momentos que eles deveriam ser legais, eles vão ser chatos. Complicado não?
Eu, que também devo ser chata pra algumas pessoas, não tolero determinadas chatices. Eu as engulo no osso. Muitas vezes, sou grossa, respondo, dou indiretas, ignoro. Mas o chato pós-graduado não percebe e continua me chateando. Vou dar um exemplo. Sou umas pessoa que detesta ser interrompida em qualquer circunstância (absolutamente qualquer circunstância). Não gosto de ser interrompida no banho, no telefone, quando escrevo, quando leio, quando trabalho e até quando não faço nada. Não gosto que me tirem o foco. Devo admitir que nesse sentido sou egoísta. Sempre acho que o que estou fazendo é mais inter…

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Gente que sabe escutar o outro

Sempre acreditei no poder da fala. No quanto é importante falarmos sobre aquilo que nos incomoda. Falarmos pros outros - amigos, terapeuta - ou pra quem está nos afetando. Talvez ainda acredite, mas apenas com as pessoas certas.
Gosto de falar naturalmente. Faz parte de mim. Assim como gosto de escrever. Além de escrever crônicas, contos e matérias, escrevo muitos emails. Os emails são as cartas que mando quando preciso conversar com quem não gosta de sentar frente a frente e olhar olho no olho. Não culpo, pois cada um tem suas fraquezas. O problema é que essas pessoas que leem minhas 'cartas' nem sempre respondem e, muito menos, as absorvem - o que é pior que não respondê-las. As que o fazem, respondem tão lindamente (mesmo quando a resposta não é o que eu esperava), que posso dizer que são pessoas raras e especiais, pois me deram 'ouvidos' (olhos) e pediram os meus. Sou grata a elas e guardo esses emails especiais com carinho, pois foram aprendizados pra mim.

Mas não e…