20 de mar de 2009

Entrevistando Chorão...


Bom Chorão, como tu é um cara opinativo, de atitude e personalidade, nessa entrevista quero te fazer perguntas que desencadeiem nas respostas esse teu ponto de vista forte e bem delineado sobre a vida. Pelo que tu fala tem muita coisa errada no mundo que poderia mudar, mas que sozinha uma pessoa não consegue. Diante dessa situação, tu continua pondo fé nos sonhos e na vida?

Eu vi o tempo passar e pouca coisa mudar, então tomei um caminho diferente. Pensando no que fiz, eu sou um vencedor, eu lutei pelo o que eu quis, mas quando não se pode mais mudar tanta coisa errada, vamos viver os nossos sonhos, temos tão pouco tempo. Infelizmente, a gente tem que tá ligado o tempo inteiro, ligado nos pilantras e também nos bagunceiros, e a gente se pergunta por que a vida é assim. É difícil pra você e é difícil pra mim. O fato é que a gente tem que se preservar. Viver intensamente com a cabeça no lugar.

Tu te sente mal diante da impotência pra mudar isso?

Não, eu não me sinto mal. Sobrevivo a todo lixo, todo ódio com amor. Eu dou o valor pras coisas simples.

Tu considera a vida um grande aprendizado?

O tempo é rei, a vida é uma lição. E um dia a gente cresce, e conhece nossa essência e ganha experiência e aprende o que é raiz, então cria consciência. Vou vivendo o dia-a-dia na paz, na moral, na humilde, busco só sabedoria, aprendendo todo dia.

Última pergunta. O que é felicidade pra ti?

Felicidade é poder estar com quem você gosta em algum lugar.


P.S: Caso alguém não tenha se ligado, a entrevista é fictícia pra Capricho, e as respostas são letras de música do Charlie Brown Jr.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!