16 de mar de 2009

Nada se cria, tudo se copia.

De acordo com Carl Jung "Todos nascemos originais e morremos cópias". Ele tem razão. Nascemos puros, livres, sem rótulos e sem...roupas. Nascemos assim para que depois escolhamos a farda que queremos vestir e o fardo que queremos carregar. Alguns entendem o simbolismo da nossa nudez tão planejada por Deus quando decidiu nos trazer ao mundo assim, tão despudorados. Outros não. Estes outros nascem nus e livres para escolherem o quão originais podem ser e mesmo assim acham mais fácil se igualar aos outros. Seja na forma de se vestir, nos gostos pessoais e até nos pensamentos, pra estes, copiar é mais fácil que criar. Infelizmente, algumas cópias são promissoras, até mais que os originais (e falo isso em todos os sentidos). Digo infelizmente, pois estes outros roubaram a essência de uma pessoa para atribuírem a si mesmos. Mas, felizmente, aqueles que resistem em sua originalidade, podem se regozijar ao saberem que foram tão bons a ponto de serem copiados. Mas o mundo é assim...Lamentavelmente, o que mais vemos ao nosso redor são cópias. Cópias baratas que sucumbem ao capitalismo e ao modismo e se rendem a igualdade no seu significado mais mesquinho: aquele que assemelha igualdade a falta de personalidade.

Um comentário:

  1. Sim, tem gente que simplesmente não consegue aceitar a propria pele.

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!