26 de abr de 2009

Mini-Mostrinhos!

Ok, eu sei que eu vou parecer uma ogra escrevendo o que vou escrever agora. Mas eu realmente preciso desabafar. É que há poucos minutos eu estava aqui nesse mesmo computador tentando finalizar um conto muito importante e não consegui. Isso porque, na cama atrás de mim, havia (e ainda há) uma criança com seus 5 anos eu acho (seis, ela disse seis), que não é minha filha, falando sozinha e, às vezes, comigo. Eu adoro ela, mas não gosto de ouvir a voz dela quando estou tentando me concentrar em algo que considero importante.

Ai meu Deus, ela não pára de falar e agora não estou conseguindo nem escrever esssa postagem. Sim, porque eu desisti de arrumar meu conto e decidi vir aqui desabafar tamanho foi (e ainda é) meu nervosismo. Mas nem isso estou conseguindo, porque crianças falam, falam, falam demais. Socorro! Sério, ela é uma fofa, mas quando estou desocupada. Vocês me entendem??? Eu, que sou egocêntrica quando escrevo, odeio ser interrompida nesses momentos. Me irrito muito, mas guardo tudo pra mim, porque não consigo ser grossa e nem sequer levemente indelicada com uma criança. Odeio quem as trata mal por sinal. Eu nem consigo pedir pra elas ficarem quietinhas ou pararem de fazer bagunça. Até fiquei com pena dela agora, porque eu nem reclamei de nada e ela me disse: "Tássia, é a última coisa que eu te peço". "Tudo bem", eu pensei e arrumei o briquedo que ela estragou pela terceira vez. Mas faz menos de um minuto e ela já falou meu nome no mínimo mais umas três vezes. Ai meu Deus!! Nunca odiei tanto ouvir meu nome. Ela me mentiu! Pestinha!

Entretanto, apesar dessa minha raiva momentânea, acreditem se quiser, eu adoro essa criança (e várias outras). Longe do computador eu abraço, beijo, faço cócegas, brinco. Mas quando estou aqui, na frente desse troço, eu preciso de concentração total e, cada vez que escuto meu nome com aquela voz meiga e aproveitadora, eu fico com os nervos à flor da pele. Parece que aquele monstrinho está preste a me atacar usando sua vozinha fina como principal arma de persuasão! Mas ela não vai me enganar! Esse mini-mostrinho não vai me pegar!

Tudo bem, nada que eu vá falar agora vai fazer vocês acreditarem que eu gosto de crianças né? Ok, eu ao menos tentei me explicar. Mas pelo menos desabafei e esse era meu objetivo. Agora vou tentar fazer algo com sua voz de fundo, mas vai ser difícil. Pelo visto vou ter que me render. Não, eu não vou me render!!! Ah...sei lá o que vou fazer, a única coisa que sei é que preciso estar bem mais preparada quando decidir ter filhos. Se bem que dizem que quando a criança é nossa somos bem mais pacientes né? Deus ajude!

Ah não, vocês não vão acreditar, o mini-monstro saiu e o monstro-mor do meu namorado chegou e ligou a maldita TV no canal de futebol. Tô fudida! Tá bom, eu me rendo, eu me rendo!!!


8 comentários:

  1. Tá vendo? Seu namorado mesmo grandinho fez mais barulho que a criança, aposto. Não tem um homem que assista jogo de futebol calado. hehehee

    ResponderExcluir
  2. Criança e namorado deve mesmo irritar uma mulher na hora da concentração rsrs. Bjus.

    http://contesta-acao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. vejo que tem bastante "jogo de cintura" com crianças. Minha sobrinha está naquela fase: por favor me mate senão eu que vou te matar". por que ela quer ocupar o troço chamado computador q eu estou operando. Simmmm, ela aprendeu a abrir a página: jogosfemininos
    *#@:&@@### maldição

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que tu devia comprar por precaução uns lexotanzinhos pra dar de vez em quando.. aauhahahuaa

    Ou então, um tapa ouvidos, que tal?!

    beijOO!

    ResponderExcluir
  5. ksopakskapokskaposaks
    não pude deixar de rir. Crianças são fofas, mas conseguem acabar com nossa concentração/paciencia.

    ;*

    ResponderExcluir
  6. Arrrgh, eu também detesto quando estou tentanto afzer alguma coisa importante no computador e fica alguém atrás conversando comigo. Me dá nos nervos! :D
    ;*

    ResponderExcluir
  7. Ahhh meu problema são mulheres. Trabalho em um ambiente CHEIO delas e minha nossa, não ficam caladas um instante.

    ResponderExcluir
  8. Eu te entendo.
    E essa história de "eu acredito na inocência das crianças" é a maior furada.
    Tb adoro essas pestinhas, mas dá uma vontade de gritar "Estátua!" e deixar paradinhas umas 2 horinhas, né?

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!