Pular para o conteúdo principal

A bondade fictícia

Recentemente voltei a assistir o seriado global Malhação e, mais uma vez, não me surpreendi com a falta de criatividade do enredo. Mas eu entendo, afinal, o mais-do-mesmo dá audiência. O que acontece é que o triângulo Marina-Luciano-Veridiana me dá nos nervos. É a coisa mais medonha que eu já vi, dentre tantas apresentadas na novela juvenil. É muita coisa fora da casinha, como o fato de a Veridiana morar na mesma casa da Marina, de a vilã se atirar prum cara que não gosta dela só pra provocar a guria, do Luciano não contar da provável doença pra namoradinha não sofrer fazendo ela sofrer mais ainda ficando com a maior rival dela, do mesmo caiçara deixar o caminho livre pro Alex ficar com a Marina mentindo não gostar mais dela e, ainda por cima, o fato de que a "coitadinha" da Veridiana tá com bulimia e a boa samaritana da Marina tá preocupada com a rival. Ai meu Deus, tenha dó!

Queridos adolescentes de todo o Brasil, tamanha bondade como a da Marina não existe!!! Assim como não existe Papai Noel, Coelhinho da Páscoa e nem Fada do Dente. Olhem tudo que a diaba da crespinha fez pra Marina e me digam se vocês seriam tão boazinhas a ponto de terem peninha da praga? Se vocês tiverem, vai ver que eu que sou a ruim da história. Então podem parar de ler por aqui mesmo. Sim, porque eu não ajudaria não, nem mostraria piedade por quem me fez tão mal. Quem me visita mais vezes aqui sabe que perdão é uma palavra que raras vezes entra no meu vocabulário. Tô até pensando em abolir a palavra das minhas novas regras ortográficas.

É clichê na Malhação plantar um personagem malvado e depois mostrar que ele aprendeu a lição, seja por uma doença (como castigo), seja descobrindo que a pesoa que ela odeia é irmã, seja salvando da morte ou sei lá o quê. No fim o bandido sempre vira mocinho também.

Sinceramente, na minha opinião, não acho nada educativo o que o seriado faz. Já perceberam que nenhuma temporada passa sem que haja uma vilã ou vilão? Que que há? Tão querendo imitar os seriadinhos americanos é? Tão plantando na gurizada de hoje que é super normal ter arquirivais na escola e que pegar no pé e azucrinar a vida alheia é super normal. Mas na vida real, meu bem, o final não é sempre tão feliz não. Nem todos aprendem a lição, nem todos bons viram maus, nem a todos Deus castiga. Aqui os lobos estão em pele de cordeiro e não tiram a fantasia nunca! A vida real tá bem distante da bondade da Malhação. E quer saber, eu até concordo que em certos casos a bondadade fique de fora, porque ser bonzinho demais às vezes é burrice!

E falando em novela global, deixo aqui um comentário sobre os personagens interpretados por Ísis Valverde. A Camila, personagem da Ísis, é outra que me dá nos nervos. Ela é uma sonsa, uma ingênua. Acredita em vida perfeita, em humanidade boa e em príncipe encantado. Que bom que ela foi pra Índia, pois só lá mesmo (e na ficção) pra encontrar um príncipe. Talvez existam príncipes sim, homens carinhosos, românticos e blá blá blá, mas sempre vem um presente grego junto, como uma sogra jararaca, uma ex-mulher inoportuna, os filhos do primeiro casamento, uma amante, as dívidas... enfim. Contos de fadas só na locadora na sessão infantil ok? E mesmo assim você vai se deparar com as três irmãs más, com a velha bruxa ou com o dragão. Às vezes a ficção infantil é mais adulta que a adulta não?! E diga-se de passagem que em um quesito sou fã dos príncipes. É que eles não perdoam o dragão...

Comentários

  1. Nossa, esse teu texto matou a pau qualquer outro! Sério mesmo! Concordo e assino em baixo com tudo o que você disse. Sabe, o mundo realmente precisa de pessoas verídicas como você, que não esconde-se atrás de ficção.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Patricia Perez20/05/2009 17:47

    Oi Tássia, Tudo bem?

    Meu nome é Patricia Perez, estou trabalhando na divulgação do 5º Concurso Universitário de Jornalismo CNN. Acredito que isso possa ser interessante para você e para os leitores do Cronicando.

    As inscrições começaram no dia 24 de março e podem ser feitas até dia 29 de junho de 2009. O tema deste ano é “O uso da tecnologia no desenvolvimento social'.

    A novidade de 2009 é que o estudante poderá enviar o vídeo de até 2 minutos pelo YouTube, sendo que ele poderá produzir quantas matérias quiser. O concurso é válido somente para estudantes de jornalismo.O ganhador conhecerá os estúdios da CNN International, além de ter sua matéria exibida pelo canal.

    As inscrições podem ser feitas no site:

    www.concursocnn.com.br

    Acompanhe ainda as novidades no Blog:

    http://www.concursocnn.com.br/2009/blog/

    e fique à vontade para esclarecer quaisquer dúvidas comigo,

    por este email ou pelo telefone: (11) 3711-8131

    Obrigada pela atenção.

    Patricia Perez

    patricia@ichimps.com.br

    ResponderExcluir
  3. Coisa que não faço mais é perder meu tempo com essas novelas. Bjus.

    http://contesta-acao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Este mistério da luz
    Incessantes são as marés da vida
    Este tempo que corre firme em frente
    Não há lugar na lembrança para a partida

    Porque da próxima vez
    Quero ser palhaço e brincar com a dor
    Aprisionar a tristeza em balões de cor
    Soltar as cordas que prendem o amor

    Uma esplendorosa quinta feira



    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  5. As histórias infantis estão sendo muito mais adultas do que a dos adultos!
    Eu até perdoaria,mas querer bancar a amiguinha preocupada já é demais!

    ResponderExcluir
  6. é isso aí táta!
    e tem mais, firanga estrangeira é a vó!

    ResponderExcluir
  7. Disse tudo, a vida real é bem diferente, e dificilmente os maus se tornam bons.

    ResponderExcluir
  8. Eu curtia a malhação de antiga.. Atualmente ela perdeu toda a noção.
    Mas, entre ver a novela das 8 e malhação, acho que ta valendo mais a malhação, até pelo fato de ter um desenvolvimento da estória mais rápido, sem enrrolações exageradas.

    beijooO Tassi!

    ResponderExcluir
  9. Concordo com tudo que vc disse, de verdade, Malhação perdeu a graça. Não é mais a msma coisa de antes.
    E Caminho das Índias, só modinha. Bom no começo, depois...
    Adoro o blog *-*

    ResponderExcluir
  10. Os triângulos amorosos da malhação já deram o que tinham que dar.
    Ninguém é tão legal e ninguém é tão malvado...
    E todo mundo acaba morando na mesma casa, e todo mundo que se odeia tem parentesco!

    Quanto a novela das índias, gente do céu, a Glória Peres força muito a amizade! O que é a Isis Valverde achando legal viver na Índia! Não cola!
    Aliás, todo essa novela não cola!

    ResponderExcluir
  11. Ain nem falo do enrendo. Soh sei que tem muita gente feia! :D

    ResponderExcluir
  12. sem falar que na vida real as coisas não vão durar menos de um ano,nenhum inimigo seu te odeia,te azucrina,faz da tua vida um inferno em fervereiro e em dezembro ele resolve de deixar de mão.O enredo precisa de uma coisa mais criativa,antes malhação até se salvava pelo giga byte e os personagens eram melhorzinhos...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

A chata existência dos chatos

Faz tempo que quero escrever sobre pessoas chatas, mas é meio difícil falar sobre elas. É que eu me irrito demais com pessoas chatas. Me irrito justamente porque elas são como são, chatas! Pior que isso, têm chatos que, muitas vezes, são legais e, portanto, você não pode ser estúpido com eles, pois se não, até nos momentos que eles deveriam ser legais, eles vão ser chatos. Complicado não?
Eu, que também devo ser chata pra algumas pessoas, não tolero determinadas chatices. Eu as engulo no osso. Muitas vezes, sou grossa, respondo, dou indiretas, ignoro. Mas o chato pós-graduado não percebe e continua me chateando. Vou dar um exemplo. Sou umas pessoa que detesta ser interrompida em qualquer circunstância (absolutamente qualquer circunstância). Não gosto de ser interrompida no banho, no telefone, quando escrevo, quando leio, quando trabalho e até quando não faço nada. Não gosto que me tirem o foco. Devo admitir que nesse sentido sou egoísta. Sempre acho que o que estou fazendo é mais inter…

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …
Infância roubada

Crianças. Será que ainda existem? Em que momento a infância termina, nos dias de hoje? Eu deixei de ser criança parcialmente aos 12 anos, quando achei que as festinhas com a turma eram bem mais divertidas que as bonecas. Mas eu senti a chegada da adolescência normalmente. Percebi que meus interesses estavam mudando, assim como os da maioria dos meus amigos. Foi um processo natural e saudável. Mesmo virando adolescente nunca deixei de agir feito uma criança boba de vez em quando pra me divertir. O ideal é nunca deixarmos de ser crianças, nem que seja um pouquinho só. Mas esse foi o meu jeito de crescer. A maneira como as crianças crescem agora, é muito diferente.

As meninas largam as bonecas bem antes dos 12. Descobrem que é mais interessante maquiar a si mesmas do que maquiar rostos de plástico; As músicas que escutam não são mais ao estilo Chiquititas, Xuxa ou Balão Mágico. Agora a moda é ouvir Rebeldes (que não são órfãs vestidas de forma comportada, mas sim meninas q…