12 de mai de 2009

O descobrimento do sexo

Apesar de estarmos vivendo em tempos tão modernos, ainda há quem se envergonhe ao falar de sexo. E não são só adolescentes virgens não! Têm adultos que só de ouvir a palavra enrubescem. Engraçado acontecer isso em uma época em que o sexo é tão banalizado ao nosso redor.

Eu sempre fui desavergonhada em se tratando desse assunto. Só não gostava de assistir filmes com cenas de sexo com meus pais do lado, pois tinha a sensação de que eles tinham vergonha por mim. Dá pra entender? Enfim, descobri a palavra na capa da revista Cláudia da minha mãe quando ainda era uma fedelha. E li certo, acreditem. Eu não falei SéXo e sim Séquisso. Ô contradição! Nunca acreditei na história da cegonha. Até porque, nessa mesma fase da minha vida, quando eu acordava de madrugada e ia pro quarto dos meus pais atucanar por falta de sono e de noção, eu sabia que nas vezes em que eles se cobriam com os lençóis não estavam com frio, até porque era verão. Eles se cobriam porque eu tinha interrompido o ato que me trouxe ao mundo. Sim, porque eu sabia que eu não tinha nascido do repolho. Como eu sabia não sei...ou talvez saiba. Acho que descobri porque certa vez dei play num filme que meu irmão esqueceu de tirar do videocassete. Filme cheio de ações, sacou?!

Em seguida vieram as revistas pornográficas que descobri que ele escondia em cima do armário dele e que eu passei a fuçar seguidamente. Conheci o mundo pornográfico bem antes das minhas amigas que não sabiam o que era sexo ainda. Culpa da taradisse do meu irmão adolescente na época. Bem, depois, na adolescência, eu falava com minhas amigas não-virgens como se fosse uma delas mesmo ainda não tendo transado. Elas podem ter transado antes de mim, mas aposto que não descobriram o sexo e nem a pornografia tão cedo quanto eu. Com certeza eu sabia mais técnicas à la Kama Sutra que elas.

Brincadeiras à parte, até hoje não tenho frescura pra falar sobre isso ou fazer piadas na mesa de jantar com relação ao assunto. Que pouca vergonha né? Uma menina falando isso. Mas sexo é a origem da vida ué. Por que eu teria vergonha de uma coisa tão linda que Deus nos deu?

7 comentários:

  1. legal o texto, acho que na atualidade é isso mesmo o que acontece... Principalmente com garotas virgens (meu caso)
    Mas espero que as coisas um dia acabem mudando e que esse assunto seja discutido de uma forma ampla e sábia.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu aprendi muito mais na escola e em filmes do que em casa. Chato isso neah? Mas sei lá, p/ mim naum deu errado.

    ResponderExcluir
  3. É, amiga. Infelizmente esse assunto ainda é tabu em muitas famílias e para muitos jovens. Eu acho que é aquela coisa: quanto menos vergonha e mais interesse, mais fácil de lidar e saber fica!

    grande beijo!

    ResponderExcluir
  4. Muitas vezes presenciei situações duvidosas, mas como o medo do monstro era maior eu nem ligava sabe, acho que no fundo toda criança pressente isso.
    Meu irmão é três anos mais velho que eu, então não havia circulação de revistinhas pornô no quarto dele, mas não é por isso que eu ficava de fora do papo das minhas amigas não-virgens, quando meus pais iam dormir eu ligava a TV na Band e assistia cine privê bahhhhhhhhhh
    te mete!

    ResponderExcluir
  5. Muitas vezes presenciei situações duvidosas, mas como o medo do monstro era maior eu nem ligava sabe, acho que no fundo toda criança pressente isso.
    Meu irmão é três anos mais velho que eu, então não havia circulação de revistinhas pornô no quarto dele, mas não é por isso que eu ficava de fora do papo das minhas amigas não-virgens, quando meus pais iam dormir eu ligava a TV na Band e assistia cine privê bahhhhhhhhhh
    te mete!

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!