20 de jul de 2009

Em meio a gente chata e seus assuntos, me sinto realmente importante e inteligente.

Recentemente descobri mais uma característica minha: EU FUJO DAS PESSOAS. Calma, calma. Não fujo de todas, só de algumas em especial. Os motivos variam, vão de trágicos a cômicos.

Os casos trágicos são quando fujo devido à repugnância que sinto de certas pessoas. Estas me fazem mal, me enchem de energias negativas. Dessas quero maior distância do que de quaisquer outras.

Os casos cômicos, aos quais vou me ater neste texto, são quando fujo de pessoas chatas. Já falei sobre "a chata existência dos chatos" em outra crônica, e espero não parecer repetitiva. Mas, novamente, preciso desabafar, ou seria vomitar? Os chatos são essencialmente pessoas inconvenientes que não percebem que não estão agradando mesmo quando as pessoas a quem incomodam os ignorem completamente. Esses chatos não percebem que jogam meu precioso tempo pelo ralo. Me perdoem se pareço egocêntrica, mas meu tempo é precioso sim, afinal, a vida é curta, não?

Cara, eu tenho o azar desgraçado de atrair idiotas de todas as espécies. Principalmente os sem semancol imaturos. Que sina filha da puta. Sabe aqueles que conseguem ter mil assuntos dos quais nenhum te interessa? Aqueles que deveriam ser tímidos pra falar menos e não são? Ah, se eu for uma dessas, por favor, me avisem pra dar tempo de eu mudar.

Enfim...o caso mais recente trata de uma pessoa de quem literalmente me escondo. Sabe aquela pessoa com quem tu não tem vontade de trocar nem um bom dia. Não porque seja má pessoa, mas porque é uma mala de pessoa. Estar um minuto com aquela pessoa parece uma eternidade. E uma eternidade indesejada.

Fujo sim. E com muito orgulho. Porque mesmo que seja apenas um minuto, esse tempo me é precioso, nem que seja pra pensar na minha própria vida. Novamente peço desculpas pelo meu aparente egocêntrismo, mas nestes casos qualquer um diria que seus pensamentos triviais são bem mais valiosos do que a perda de tempo com uma simpatia forçada em nome da sociabilidade e da harmonia que a convivência pede.

P.S.: Existe alguma oração pra afastar chatos?

2 comentários:

  1. Que déjà vu!!!
    Eu sou uma fugitiva profissional. Tem gente que me desperta um instinto de fuga.
    E até pode mesmo parecer arrogância, e acharem que a gente só foge de gente com papinho fútil e sem conteúdo... mas não! Tem gente que vem falar de física quântica, de economia, ou de qq outra coisa útil, e o assunto simplesmente perde a “interessância” e fica insuportável.
    Já descobri, Tássia! Não é o assunto, é o interlecutor.
    Porque, né?, tem gente que até falando sobre o clima fica interessante.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!