Pular para o conteúdo principal

Hoje, ontem e amanhã.

Minha postagem de hoje é inspirada numa frase que li em um post da minha amiga Verô ( http://mascotejornal.blogspot.com), e que combina com meu momento atual, mais precisamente com meu AGORA. A frase tava guardada nos meus rascunhos pro dia em que ele me servisse. Chegou a hora...

A frase é: "Tudo o que eu queria do dia de hoje, era esquecer todos os dias de ONTEM, não pensar de maneira nenhuma no dia de amanhã."

Hoje ainda não acabou. A manhã, a tarde e a noite são imprevisíveis. A manhã foi boa, a tarde estava sendo, mas agora, surpresa, desmoronou o circo. E, apesar do sol em pleno inverno e de um possível domingo perfeito diante do meu bom humor incomum nesse dia, ocorreu um desvio de rota. O "agora" a que me refiro foi há 10 minutos. É meu passado. Mas também foi meu presente naquele exato momento em que acontecia, assim como foi meu futuro há 11 minutos. Passado, presente e futuro, tudo está relacionado, mesmo que o advérbio de tempo se refira ao presente. E quer saber, por mais complexo que isso possa parecer, eu odeio relações, sejam elas gramaticais ou de qualquer outro teor. Elas de ótimas passam a ruins, depois voltam a ser boas e sei lá... isso é um saco. Relações são inconstantes demais e eu também. As relacionadas a amigos então, nem se fala. O outro será sempre o outro, um ser totalmente estranho pra gente, e por mais que pensemos que o conhecemos, sempre nos surpreenderemos com suas excentricidades, assim como nos surpreenderemos com as de nossos parceiros e pais que são até mais próximos. Mas não vou perder o foco. Voltemos então.

Qual a relação disso tudo com aquela frase? Simples, se eu esquecer o ontem, posso até esquecer as coisas boas, mas também esquecerei as ruins. Pois são as coisas ruins de ontem que me fazem sofrer por antecipação em relação ao amanhã. Por um lado, essa perda de memória recente seria boa, me pouparia de muito sofrimento. Mas por outro, me tornaria uma tola diante daqueles que querem me ver lá em baixo. Sem saber coisas do passado como poderia eu me defender no futuro? Quais seriam minhas armas?

A vida é um quebra-cabeça... não não, é uma máquina de pinball. A bolinha vai e volta. Às vezes, acerta o buraco e com isso ganhamos vários pontos. Noutras, ela some num buraco que nos avisa em letras grandes e vermelhas GAME OVER. E daí o que conta nessas horas é que tenhamos mais fichas do bolso pra tentarmos tudo outra vez.

Pra ser sincera então, talvez a frase não se aplique a todos os momentos da minha vida. Mas agora sim, a esse momento se aplica. Porque nesse exato momento "Tudo o que eu queria do dia de hoje, era esquecer todos os dias de ONTEM, não pensar de maneira nenhuma no dia de amanhã." Exemplo, meu hoje será meu ontem amanhã e, consequentemente, meu amanhã será um saco devido a lembrança do meu ontem. Viram porque relações são uma droga?

Tudo o que eu mais quero é um futuro cheio de surpresas imprevisíveis...boas, doidas, fora do convencional, mas que não me causem essa sensação de falta de ar. Eu quero um futuro com muito, mas muito ar pra respirar, independente do que fui ontem e hoje!!! Eu quero viver sempre o hoje e nem perceber quando o futuro chegar. Só quero poder, antes de dormir a cada dia, suspirar de satisfação. E essa sim é a essência da frase acima pra mim.

Comentários

  1. Tu leva as coisas a sério demais, Tássia. Não faça isso, pro teu bem.
    Procura pela banda 'O Teatro Mágico', a música "De ontem em diante". É um poema, que me veio a cabeça com esse texto.

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Não penso nessas coisas não, senão enlouqueço.
    Mas a teoria da máquina de pinball foi boa!
    E segue o conselho do teu amigo aí de cima: essa música (como todas as outras) do Teatro Mágico é linda.

    Bjos da tua amiga gremista!

    ResponderExcluir
  3. a partir do momento que eu tenho a sensação de não sentir o passado, nem pensar no futuro...e somente consigo sentir e ver aquele lugar, pessoa, acontecimento...é pq encontrei uma nova maneira, um novo caminho, um novo amor...automaticamente as preocupações se explodem...podem até surgir em algum outro momento...mas naquele momento, são totalmente inexistentes.

    eu te entendo...e assim por diante!
    obrigada por existir..beijo!

    ResponderExcluir
  4. Bravo, your idea it is magnificent

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

A chata existência dos chatos

Faz tempo que quero escrever sobre pessoas chatas, mas é meio difícil falar sobre elas. É que eu me irrito demais com pessoas chatas. Me irrito justamente porque elas são como são, chatas! Pior que isso, têm chatos que, muitas vezes, são legais e, portanto, você não pode ser estúpido com eles, pois se não, até nos momentos que eles deveriam ser legais, eles vão ser chatos. Complicado não?
Eu, que também devo ser chata pra algumas pessoas, não tolero determinadas chatices. Eu as engulo no osso. Muitas vezes, sou grossa, respondo, dou indiretas, ignoro. Mas o chato pós-graduado não percebe e continua me chateando. Vou dar um exemplo. Sou umas pessoa que detesta ser interrompida em qualquer circunstância (absolutamente qualquer circunstância). Não gosto de ser interrompida no banho, no telefone, quando escrevo, quando leio, quando trabalho e até quando não faço nada. Não gosto que me tirem o foco. Devo admitir que nesse sentido sou egoísta. Sempre acho que o que estou fazendo é mais inter…

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Gente que sabe escutar o outro

Sempre acreditei no poder da fala. No quanto é importante falarmos sobre aquilo que nos incomoda. Falarmos pros outros - amigos, terapeuta - ou pra quem está nos afetando. Talvez ainda acredite, mas apenas com as pessoas certas.
Gosto de falar naturalmente. Faz parte de mim. Assim como gosto de escrever. Além de escrever crônicas, contos e matérias, escrevo muitos emails. Os emails são as cartas que mando quando preciso conversar com quem não gosta de sentar frente a frente e olhar olho no olho. Não culpo, pois cada um tem suas fraquezas. O problema é que essas pessoas que leem minhas 'cartas' nem sempre respondem e, muito menos, as absorvem - o que é pior que não respondê-las. As que o fazem, respondem tão lindamente (mesmo quando a resposta não é o que eu esperava), que posso dizer que são pessoas raras e especiais, pois me deram 'ouvidos' (olhos) e pediram os meus. Sou grata a elas e guardo esses emails especiais com carinho, pois foram aprendizados pra mim.

Mas não e…