Pular para o conteúdo principal

Abstinência Virtual

Mal surgiu a Internet e já começaram a surgir as redes sociais. ICQ e Mirc marcaram minha adolescência de forma super positiva, pois fiz amizades bem improvavéis e desejavéis através deles que sairam do virtual pro real. Acontece que, depois que surgiu o Orkut, a vida das pessoas virou um inferno dentro e fora dos monitores.
A pena é que muitas acham que estão no céu ao fugirem da solidão se isolando ainda mais por trás de uma máquina onde ela pode ser mais um personagem do que ela mesma.
O dito cujo passou a ocupar boa parte do tempo produtivo dos indivíduos, inclusive prejudicando seu desempenho no trabalho ou na hora de estudar. Quem consegue se concentrar no trabalho quando está sozinho na sala com a Internet à disposição? Como estudar pr'aquela prova se o computador é no seu quarto e sempre tem recado ou foto nova pra ver no Orkut seu e dos outros?
As pessoas se tornaram dependentes da Internet. E essa dependência é que pode ser um problema. Não da Internet em si, que pode ter várias utilidades benéficas, mas das redes sociais. A Internet pode ser uma fonte geradora de renda se utilizada profissionalmente, e esse lado dela é positivo. Agora, as redes socias difícilmente trarão benefícios que não reencontrar e manter contato com amigos. O problema começa quando esse contato fica exagerado, em demasia. Quando ele se torna uma alternativa pra preencher o tempo livre. Ao invés da rua, o computador. Assim, a distância do meio virtual por muito tempo pode causar a mesma sensação que um fumante tem ao ser afastado de seu cigarro por algumas horas. Seria uma abstinência virtual?
Tenho que me controlar... não tenho vício em redes, mas em sites de cultura, mais especificamente ligados à literatura, e à blogs. Quero consumir tudo em pouco tempo e esqueço que tem vida fora do meu quarto e da ficção à que fico presa. É... bom é, mas cair na real e curti-la também é muito bom!

Comentários

  1. Dia desses até sugeri pra mãe fazer um tema de redação para os alunos: 'Internet - ensina ou emburrece'.
    Corrigi elas e deu pra ver que boa parte das pessoas se restringe a esse mundinho orkut/msn.
    A rede oferece um vício. Deixar-nos viciar parte de cada um. Particularmente não gosto desses 'mantenha contato' das redes sociais como orkut e facebook. É uma linguagem que sugere que é imprenscindível viver sem ser amigo de fulano. Não é bem assim.
    Por melhores que sejam as redes sociais, a vida acontece mesmo fora do computador...

    ResponderExcluir
  2. O Orkut no início, quando só entrava quando se era convidado é bacana. As Comu eram super interessantes, mas depois que foi vendida pra Google... Tem texto novo no Sub Mundo, Bjus.

    http://submundosemmim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. HAHA, 1. era pra eu estar estudando, prova amanhã e tal.
    2. Esse foi o tema do vestibular passado da UEM x)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…