Pular para o conteúdo principal

Pulseirinhas do sexo: a nova mania adolescente


Uma nova moda lançada por crianças e adolescentes têm gerado polêmica. São as tais "pulseiras do sexo". Vendidas em pacotinho em qualquer camelô a preço de banana, são feitas de silicone e de variadas cores. A polemização surgiu quando jovens ingleses decidiram dar significado às cores de cada pulseira através do jogo do snap, cuja regra principal diz que a pessoa que teve a pulseira arrebentada precisa cumprir o que comanda a cor da mesma (abaixo o que simboliza cada cor). O que tem assustado psicólogos e pais é que essas pulseirinhas maliciosas têm circulado principalmente nos braços da gurizada de 9 à 15 anos e, por isso, já têm escolas proibindo sua utilização.
Tal notícia poderia inspirar em mim as críticas mais prováveis como "o mundo está perdido", "as crianças não são mais crianças" e blá blá blá. Mas seria "mais do mesmo" e diria até que hipocrisia. Isso porque todo mundo que já viveu a adolescência de fato (o que não significa ter apenas a idade correspondente) sabe como ela é. Pra ter sido adolescente tem que ter experimentando todas as sensações que só essa fase te dispõe e que jamais poderão ser recuperadas. Vamos combinar que quem foi muito certinho não aproveitou as delícias da idade. Diante disso, não vejo grandes problemas nas pulseirinhas, não. As "crianças" estão com os hormônios à flor da pele e querem demonstrar pros amigos, mesmo que sendo pura enganação, que já não são mais crianças, que sabem o que é sexo e que já estão preparadíssimas para transar. É uma forma de afirmação. De provar pros outros que não ficam pra trás. E posso apostar que mais da metade dos usuários das pulseirinhas é virgem e morreria de medo de ter a sua arrancada.
As formas de expressar a sexualidade só mudam com o tempo. No meu tempo, que não faz muito, era o jogo da garrafa. Quando a música parasse, a menina ou menino que ficasse com a garrafa deveria beijar (na frente de todo mundo - óóó) quem o grupo escolhesse, isso sem falar do verdade ou consequência ou das apostas que rolavam para ver quem perderia a virgindade com quem e quando. Se iniciar sexualmente sempre foi um ato de coragem, de superioridade. Provar que era mais experiente, mesmo que aparentemente (ou seja, fingindo ser), sempre foi uma meta da maioria dos adolescentes. Os adolescentes não mudaram muito como dizem por aí, só as idéias é que se renovaram. Adolescente nunca foi santo, só menos criativo talvez.
Confira os significados das cores das pulseiras:
> Amarela – abraço
> Rosa – mostrar o peito
> Laranja – dentadinha de amor
> Roxa – beijo com a língua, talvez sexo
> Vermelha – dança erótica
> Verde – chupões no pescoço
> Branca – a menina escolhe o que quer
> Azul – sexo oral a ser praticado pela menina
> Preta – fazer sexo com quem arrancar a pulseira
> Dourado – fazer todos os citados acima

Comentários

  1. tassia, eu usei muuuito essas pulseiras há uns bons anos atrás mas nao tinham significados, mto menos significados perversos...hehehe

    ResponderExcluir
  2. sei lá, eu nunca liguei pra essas pulseirinhas e ainda ñ ligo, + esses significados das cores são beeem pesados né? O__o

    tipo eu ñ consigo ver nenhuma amiga minha fazendo isso, tirando talvez o abraço, + realmente se eu fosse mãe eu ficaria bem preocupada. sexo oral a ser praticado pela menina? até parece.

    ResponderExcluir
  3. Não ligo para essas pulseiras, ainda penso que são uma besteira a mais para os jovens se importarem!

    ResponderExcluir
  4. O jovens de hoje em dia inventam cada coisa, parece que só inventam isso pra perder a virgindade mais rápido. Fiz um post lá no meu blog sobre essas pulseirinhas, coloquei inclusive que uma menina foi estuprada por causa dessa pulseirinha. Hoje em dia não existem mais brincadeiras saudáveis, tudo tá relacionado ao sexo.

    Aparece lá no meu blog :)


    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. "Vamos combinar que quem foi muito certinho não aproveitou as delícias da idade. Diante disso, não vejo grandes problemas nas pulseirinhas."
    achei um absurdo o seu comentario no blog da capricho pois, não tem cabimento um adolescente se arriscar diante de uma pulseira que significa um simbolo de pedofilia no mundo inteiro

    ResponderExcluir
  6. Um adolescente se arrisca ao sair na rua, ao ir em festas, ao entrar na Internet se expondo em Orkut e etc. Tudo é risco. Pedófilos estão em qualquer canto. Eles não procuram exclusivamente quem usa as pulseirinhas. Mas óbvio que cuidado nunca é demais. Mesmo assim, julgo no meu texto a visão do adolescente. Pra mim é apenas mais uma forma de expressão que eles descobriram com a ingenuidade da idade pra essas coisas mais sérias que podem surgir diante de uma brincadeira. Queria comentar isso no teu blog, mas como és "anonimo", não pude. De qualquer forma, todo comentário é bem vindo. Diversidade de opiniões é super saudável, pois gera o debate.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…