13 de jan de 2010

Todo mundo de olho


Começa mais um BBB. O décimo. Incrível! Logo, logo vou voltar a ouvir no ônibus frases absurdo-normais como: "Droga, tenho que chegar em casa cansadérrima depois do trabalho e da faculdade e ainda ver o BBB." Ahhh, essas obrigações do mundo pós-moderno...

Agora tentem sair do papel de telespectadores e se colocar na pele dos BBB's. Imagina o quão penoso deve ser bolar uma estratégia pra ficar na casa. Porque ser o primeiro, segundo ou terceiro eliminado, é brabo. Acho que é bem complicado dizer "vou ser eu mesma", porque diante de câmeras com milhares de brasileiros assistindo, é inevitável que a gente se cuide bem mais, claro que com alguns deslizes. E até mesmo diante de outras pessoas mudamos também, como eu já sintetizei nessa frase: "É só quando estou sozinha que percebo que quando estou com os outros sou apenas o que eles pensam que eu sou."

Sei lá qual seria minha estratégia, acho que eu tentaria me manter bem em forma. Sabe como é, corpo no BBB é prioridade. Tentaria ser legal com todo mundo e amenizar as brigas. Evitaria fofocas. Mas tomaria partido quando um dos lados estivesse descaradamente sem razão pra mostrar que tenho personalidade (isso se esse lado não for o meu grupo de afinidades). Porque, vá lá, se meu grupo de afinidades estiver sem razão, mas por algum motivo tiver mais chances, eu tomo parte deles. Exemplo: o outro grupo é composto por coroas ou nerds chatos e que não fedem nem cheiram na casa. Sabe como é, no BBB a gente tem que ser meio político, tem que ter personalidade, mas nem sempre essa personalidade condiz com a postura moral certa. Mas é um jogo né, e o povo gosta de gente que faz e acontece e não que fica parada reclamando de tudo.
Enfim, tentaria ser eu, mas nem tanto, porque ser a gente mesmo é bem perigoso. Ainda mais com 1,5 milhão em jogo. O povo gosta de novela lembra, então, vale ser meio ator. E vale muita grana!

2 comentários:

  1. É tenso dizer que vai falar tudo o que pensar...
    Nem aqui fora é assim, imagine lá dentro!
    E essa história de ser eu mesmo eu acho ridículo, já que todo mundo muda a personalidade pra ganhar a simpatia das pessoas; menti?

    ResponderExcluir
  2. Particularmente,
    detesto reality show.

    Existem estudos seríssimos
    contra este tipo de programação.
    Ela só vai ao ar
    porque, infelizmente,
    os valores ainda estão
    completamente deturpados...

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!