Pular para o conteúdo principal

Olhar pra frente


Dia desses, fazendo uma entrevista pra uma matéria, minha fonte, um senhor de uns 80 e poucos anos, me falou uma coisa que me fez pausar naquelas palavras e abstrair todo o resto. Ele discursava sobre o mundo no futuro, e no meio de sua tese me disse: "Eu gosto de olhar pra frente". Disse isso pra justificar sua visão de como seria o mundo daqui uns 30, 40 anos. Obviamente, ele nem percebeu que eu parei no tempo com aquela declaração e que, desde aquele momento, eu só via sua boca se movendo sem emitir som algum. Aquela frase me deu um baita soco no estômago, afinal, ao olhar pras suas rugas eu sabia que ele não iria poder ver o futuro que ele estava prevendo. E suas palavras me comoveram mais ainda, pois sei que ele está com câncer, e admiro a força e fé das pessoas. Desejo que ele supere o câncer, certamente, assim como desejo a todos que sofrem disso. Mas mesmo que o supere, acredito que somente um milagre o deixará viver tanto pra ver todas essas mudanças que ele prevê.

Olho ao redor e vejo muitas pessoas com ânsia de viver. E muitas dessas pessoas já passaram dos 80. Meu avô, já falecido, aos 90 e poucos era assim. Quantas pessoas nos deixam sem nos mostrar tudo que poderiam e sem verem tudo que queriam? Muitas pessoas, inclusive, trabalham diretamente na construção do futuro que não verão. São engenheiros de todos os ramos, cientistas, médicos, pesquisadores e etc. Pessoas que vivem pra um futuro em que não viverão mais. É muito amor à uma humanidade que talvez não nos ame tanto assim por não nos querer mais do que uns poucos 100 anos por aqui. Eu sou assim também. Ansiosa por viver, viver, viver. Não que a vida seja tão boa assim, mas é justamente por isso que tenho essa gana de viver, justamente pra ver que no futuro ela pode ser melhor.

Enquanto vivemos só uns 100 anos, vejo filmes em que as personagens vivem há séculos, milênios... São elfos, vampiros... Que inveja desse mundo! Engraçado que as personagens desses filmes não fazem nada pelo futuro. Pelo contrário, só tentam consertar richas do passado. Será essa a fórmula do seu sucesso? Viver pro passado e não pro futuro? Tentei mudar a lógica e viver só pro presente. Mas é difícil, até porque nesse exato momento eu estava mandando curriculuns, terminando um trabalho da faculdade, alimentando relacionamentos que podem me ser úteis. E tudo isso pensando no quê? No meu futuro. Nesse futuro que tanto almejo e tanto temo. Nesse futuro que quero que seja próspero, mas que me deixará cada vez mais perto do fim e não do início.

Mas eu sei explicar porque tanto quero um futuro. Porque pra maioria dos brasileiros, assim como eu, o futuro é sinônimo de esperança. É no futuro que depositamos nossas moedas já que no presente não estamos no patamar que gostaríamos. Se meu presente me proporcionasse a satisfação de ver minha família, meus amigos e eu, vivermos sem tanto esforço, tanta mágoa, tantas batalhas, provavelmente eu poderia aplicar minha técnica de viver o presente. Ainda pretendo aplicá-la. Quando em um futuro não tão distante eu puder satisfazer a todos que me rodeiam a ponto de brindar o presente.

Mas e o futuro que minha fonte não vai ver? Ah, o futuro a gente constrói, mas a Deus pertence. E nós não veremos o que Deus fez com o que a gente construiu, assim como nunca saberemos porque vivemos pra morrermos. É a lei da vida. E ninguém disse que era pra gente entendê-la, por mais que quiséssemos. Nem toda lei é justa, isso pelo menos já sabemos!

Comentários

  1. Tento não pensar muito no futuro. Afinal, se constroe o futuro a partir do presente, e quero fazer com que o agora possa possibilitar um futuro melhor. Tem texto no Sub Mundos. Bjus.

    http://submundosemmim.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…