20 de jun de 2010

Sorte de ter sorte

O que a vida me reserva? Não, não, nem pensar! Não quero nenhuma cigana lendo minhas mãos, não quero previsões. Nem mesmo as de tempo. Abro a janela e vejo, ok? Só quero acreditar que o que virá será bom. Mas não só isso, afinal, não quero viver de esperanças. Quero elas se tornando realidades amanhã, no máximo mês que vem.

Nem acredito que vou dizer isso, mas lá vai: quero sorte. Um pouco de sorte que mal tem? Tá, eu sei que não jogo na mega, nem participo de promoções de margarina, mas e daí? Sorte é justamente isso, é quando algo cai do céu. Assim, sem ter se esforçado pr'aquilo, mesmo que o tal esforço signifique apenas mandar um torpedo pro Faustão ou uma carta pro Gugu.

Eu tô pedindo sorte porque reconhecimento ainda não tive. Sempre fui adepta do lema "quem estuda chega lá". Mas sei lá, o máximo que cheguei estudando foi a uma lordose cada vez pior, vários 10 no boletim que ninguém verá quando eu for pedir emprego, uma sobrecarga de estágio mais faculdade, uma redução drástica do meu tempo pra lazer e família e otras cositas más. Mesmo assim, ainda quero e vou continuar acreditando piamente nisso, mas será que dá pra somar a isso sorte? Afinal, só vejo os adeptos do lema "quem espera sempre alcança" se dando bem. E isso que nem esperam tanto.

Tá bom, tá bom, não preciso ter a sorte do tipo "cai do céu sem esforço". Pode ser a sorte do reconhecimento ao meu empenho, tipo a sorte do meu curriculum párar nas mãos certas. Sorte pra ter reconhecimento. Sorte justa, não acham? Pô, eu ralo pra caramba e só vejo os outros se dando bem. Qual é a punição, heim? O que eu fiz? É algum tipo de vingança aos nerds? Sei lá, ainda vou acreditar naquela história de que um dia aquele nerd será seu chefe! Será a minha vingança! Puts, talvez não, agora lembrei que pra piorar as coisas escolhi fazer Jornalismo, ao invés de Direito, Administração, Engenharia... Puts, agora lembrei que o diploma de Jornalismo caiu. Puts, que falta de sorte...

Ah, mas calma lá, já ganhei duas bicicletas, um roller, botas, ingressos de cinema, ingressos de shows, raspadinhas, bolsa de estudos... e muitas dessas coisas graças aos meus estudos, já que a maioria foi devido à minha criatividade pra escrever as melhores frases ou textos. Viram só? Estudei pra ganhar promoções. Maravilha! Por que fui nascer no país onde o maior reconhecimento é ter habilidade nos pés e não no cerébro?

Calma, calma...a sorte ainda vai bater na minha porta. Ela será uma recompensa por todo meu esforço e essa somatização será compensadora! Ah, também, quanto blá blá pra não me contradizer. Essa minha mania de ser sempre correta não tá com nada. Preciso justificar até a sorte? Sorte não se justifica, Tássia! Eu quero a sorte de ter sorte e ponto.

Um comentário:

  1. Adorei o texto! Mas, pede pra Deus, que Ele dá! hehehe. Beijos!

    ResponderExcluir

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!