Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

Contraditória

Já me acostumei a ouvir o eco dos meus passos solitários pela rua depois das onze da noite. Não tenho mais medo do escuro. Não olho pra trás temendo a sombra. Não olho torto um estranho. Não preciso que me esperem na esquina. Tenho casaco, guarda-chuva e a chave de casa. Tenho meus calcanhares e minha sorte.
Já me acostumei ao calor do meu corpo em noites frias, assim como aos meus pés gelados em manhãs quentes. Gosto de acordar na minha companhia quando não durmo abraçada enquanto nasce o dia.
Já me acostumei aos meus compromissos descompromissados e aos meus deveres empilhados. Às minhas saídas sem destino e ao meu destino aparentemente sem saída. Ao meu amanhã não planejado e ao meu hoje des(esperado). À minha cabeça leve e ao meu corpo pesado.
Já me acostumei a mim mesma. Aos meus impulsos. À minha sutileza. À minha rotina insana. Ao meu bem estar egoísta. Ao meu eu de todo mundo. À minha imagem no espelho. Ao meu dia sim, dia não. Ao meu sorriso sempre.
E então você chega, como quem…