Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

Pílulas de Reflexão

Frases minhas
"Tô colecionando frases feitas pra jogar na cara de quem as merece quando eu não precisar mais fingir que existe algo que nunca existiu".
"Pessoas fazem parte da minha vida sem que eu as tenha escolhido. Pessoas que não fazem a sua parte. Pessoas que não ocupam a melhor parte de mim".

"E todos que não se importam, saibam também que nunca foram importantes".
"E chegará o dia em que nada mais será mentira e não haverá mais fingimentos. Só um adeus a até uma rua qualquer".
"Alguém aí? Não, não. Melhor nem ligar".
"A nossa diferença é uma só. Eu consigo dormir à noite".
"Tenho em mim o amor que me consola de todo o desamor".
"Aprendi a não esperar o bem, só fazê-lo".

O dia em que me tornei Jornalista

Eu devia ter feito esta postagem faz tempo, até porque alguns colegas me pediram, mas sabem como é, tempo é uma palavra que está sempre de mal comigo. Pois bem, finalmente reatamos e cá estou eu postando. 
No dia 25 de fevereiro de 2012, sambando ao som de Bebeto Alves, fui pegar meu diploma. Nessa noite, finalmente me formei em Jornalismo, após incríveis sete anos, ao invés dos quatro habituais. Mas acredito que os sete anos me deram sorte. Fiz menos cadeiras sim, mas isso significou muito mais. Mais tempo de faculdade, é claro. Mas, acima de tudo, mais amigos, mais contatos, mais estágios, mais empregos, mais aprendizado e mais recordações. Acredito que foi o tempo certo. O tempo e a escolha certa. Ser jornalista pra mim é ser eu mesma. Ser jornalista é mais que uma profissão, é uma filosofia de vida da qual sou adepta convicta.
Sou muito grata por tudo que conquistei nesses sete anos. Me descobri e descobri algumas das pessoas mais importantes da minha vida. Acho que todo mundo que m…

Poesia visceral

Após terminar a leitura do livro "O amor é um cão dos diabos", daquele velho safado e genial chamado Charles Bukowski, resolvi reproduzir trechos de alguns de seus poemas, em especial dos que integram a parte 1 do livro, intitulada de "mais uma criatura atordoada pelo amor" e da parte 2, "eu, e aquela velha: aflição". Pra mim, isso sim é que é poesia. Poesia visceral! Do jeito que eu gosto...



"está sempre alta
 em sapatos de salto
 espírito
 boletas
 trago

 (...)

 Sandra pode partir provavelmente o coração de um homem
 espero que ela encontre um". (Sandra)

*

"outros olhos
 outro cabelo
 outros
 pés e dedos.

 todos à procura
 a busca eterna". (Outra cama)

*

"ela não faz
 nada fora do
 comum.

 queria apenas que ela
 fizesse". (Encurralado)

*

Como ser um grande escritor

"apenas beba mais cerveja
 mais e mais cerveja

 (...)

 não exagere no exercício.

 durma até o meio-dia.

 evite cartões de crédito
 ou pagar qualquer conta
 no prazo.

 lembre-se que nenhum …

O começo do fim

Você já parou pra pensar que um dia você vai ficar velho e que esse dia pode chegar mais rápido do que você imagina? E que, de repente, você, que fazia tudo aquilo, pode perder a força nas pernas e não conseguir mais levantar sozinho? E que seu intelecto vai estar funcionando a pleno vapor, mas seu corpo não vai mais responder aos comandos do seu cérebro? E que você não terá lido todos os livros que queria, não terá assistido todos os filmes, viajado por todos os lugares e nem amado as pessoas e a vida o suficiente e, mesmo assim, já não estará mais em condições físicas ou mentais pra isso? Pois eu já parei pra pensar nisso muitas vezes. Deve ser porque convivo diariamente com meu avô que tem mais de 80 anos e porque vi meu outro avô ter que aceitar que estava ficando velho mesmo sem aceitar que a vida é finita. Penso nisso diariamente e pensar nisso me dói. Penso como uma velha em coisas do tipo: "É, não quero viver muito se for pra dar trabalho pros meus filhos. Não quero viver…