Pular para o conteúdo principal

Gente que sabe escutar o outro

Sempre acreditei no poder da fala. No quanto é importante falarmos sobre aquilo que nos incomoda. Falarmos pros outros - amigos, terapeuta - ou pra quem está nos afetando. Talvez ainda acredite, mas apenas com as pessoas certas.

Gosto de falar naturalmente. Faz parte de mim. Assim como gosto de escrever. Além de escrever crônicas, contos e matérias, escrevo muitos emails. Os emails são as cartas que mando quando preciso conversar com quem não gosta de sentar frente a frente e olhar olho no olho. Não culpo, pois cada um tem suas fraquezas. O problema é que essas pessoas que leem minhas 'cartas' nem sempre respondem e, muito menos, as absorvem - o que é pior que não respondê-las. As que o fazem, respondem tão lindamente (mesmo quando a resposta não é o que eu esperava), que posso dizer que são pessoas raras e especiais, pois me deram 'ouvidos' (olhos) e pediram os meus. Sou grata a elas e guardo esses emails especiais com carinho, pois foram aprendizados pra mim.


Mas não era exatamente sobre isso que eu queria falar aqui. Eu ia falar sobre a fala e o silêncio. Cansei de gastar meu português (porque não sei latim) com quem mal sabe escrevê-lo. Imagina então interpretá-lo. E, assim como eu cansei, imagino quantas pessoas cansaram também. Olhe ao seu redor. Quantos relacionamentos ruins estão baseados no silêncio de uma das partes, ou das duas?

São amigos que já não são tão amigos assim. São pais/ mães e filhos. São irmãos. São colegas de trabalho. São casais de muitos anos (namorados ou casados) que se sujeitam a uma vida a dois em nome dos filhos, da própria convenção social ou do medo da solidão ou da perda. Mas já não estão essas pessoas sozinhas? Já não perderam o outro faz tempo? Ao meu ver, elas estão apenas se iludindo com uma companhia física que não as completa e nem soma.


Seria tão bom se as pessoas falassem. Mas melhor ainda seria se as pessoas ouvissem. Ouvissem até mesmo quando não dizemos nada, até porque o silêncio diz muito. Ouvissem de coração aberto e dissessem 'tu tem razão', ou deixassem claro seu lado da moeda. E após ouvirem, seria bom se tentassem mudar - o que é bem mais importante que apenas ouvir. Mudar por elas e pelos outros. Mudar porque todo mundo precisa mudar. Faz parte da evolução do ser humano. Ou você não quer evoluir? Ser melhor? Se não pelos outros, por você!

Mas não, é mais fácil dizerem que não concordam e depois fazer o que foi aconselhado sem dar os créditos ao conselheiro, pois o ego não dá licença. Ou então dizerem que concordam só pra encerrar a conversa e não brigar. É mais fácil ficar na zona de conforto. Errado! A falta de diálogo é que traz a perda. O falar com as paredes. E nessa de evitar, acaba que a pessoa se afasta, se afasta, e mesmo estando bem pertinho de você, na verdade, ela já partiu faz tempo. E já que você não quis ouvir nunca, ela já nem fez questão de contar que não está mais nem aí pra você.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…