Pular para o conteúdo principal

Você não precisa ser uma Miss, mas pode, por favor, depilar suas axilas e ser simpática?


Por que tantas mulheres se orgulham de coisas das quais não deviam se orgulhar hoje em dia? "Não sou simpática mesmo. Dar bom dia, distribuir sorrisos para colegas e vizinhos e ser gentil com conhecidos e estranhos não faz meu feitio. Sou grossa e quem me conhece sabe", "Não gosto de me arrumar. Escolher uma roupa que combine e me maquiar de manhã é uma tortura". Esses são apenas alguns exemplos de comportamentos que são exibidos como troféus por certas mulheres ‘modernas’. Muitas os justificam como ‘personalidade forte’. Mas, peraí! Também acho que tenho personalidade forte, o que não significa ser mal educada, intolerante e desleixada.

Eu não sou o tipo de mulher que acorda bem cedo para se arrumar, mas não dispenso base, pó e rímel, e nem uma roupa com a qual eu me sinta bonita e confortável. Invejo secretamente aquelas mulheres que chegam imaculadas no trabalho. Vestido, salto alto, unhas e cabelos impecáveis. Não creio que um dia eu chegue no patamar delas, pois meu sono de manhã é maior que minha vontade de sair perfeita. Mas acredito que consigo conciliar bem minha personalidade de preguiça matinal com minha vaidade. Ou seja, não vou para o trabalho de cara limpa e vestida como quem recém fez uma faxina em casa. E isso não significa que eu seja machista ou que levante a bandeira de que a mulher tem que estar sempre linda. Nada disso. O que defendo é que a mulher que se arruma todos os dias certamente passa uma impressão melhor no seu ambiente de trabalho e entre as pessoas (incluindo a visão dela sobre ela mesma). E não me venha dizer que isso não é importante, porque é sim. Caso contrário, os homens não usariam terno e gravata. A gente não queria igualdade, então que igualemo-nos! Sou feminista e nem por isso deixo de ser feminina. Seu chefe, seus colegas e seus clientes, em especial, querem alguém que, além de ser competente, passe uma imagem de credibilidade, que em cada área é uma.

Não quero generalizar, mas também acredito que quando a mulher se cuida mais é porque se ama mais, e isso é bom. E, atenção, ser vaidosa não é necessariamente ser perua ou patricinha, é apenas dedicar mais tutano e carinho ao seu próprio estilo. Uma publicitária tem margem para se vestir usando tênis, mantendo seu estilo e transparecendo sua criatividade em seu visual. Uma enfermeira deve estar com unhas sempre curtas e limpas, cabelo bem preso e roupas claras. Isso significa que estar bem arrumada difere de profissão para profissão, mas o bom senso mostra que qualquer uma delas quer que você se cuide. Portanto, o excesso do feminismo moderno que prega que as mulheres não se depilem não serve para empresas, ok?

Segundo tópico: como você espera ser promovida, ter amigos no trabalho, ganhar o respeito dos colegas e clientes se você não os respeita? Da mesma forma, como espera conquistar sua simpatia se não é capaz de dar bom dia quando chega? Ser grosseira pode até ser uma característica sua com a qual amigos e familiares já estejam acostumados a lidar, mas lhe garanto que eles não gostam nada disso. Portanto, experimente mudar a característica de grossa para direta, sem rodeios, sincera. Mantenha a personalidade forte apenas quando esta lhe trouxer benefícios sem atingir negativamente ninguém. Você não precisa ser eleita Miss Simpatia do trabalho, mas educada você precisa ser com o mundo. Da mesma maneira, você não tem que ser Sexy Simbol da equipe, mas seja ao menos mais feminina e menos rebelde sem causa. Fica a dica.

Texto publicado na minha coluna no site Negócio Feminino

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…